Veja sete mitos e verdades sobre a depilação a laser

Fisioterapeuta dermatofuncional esclarece as dúvidas de homens e mulheres que desejam passar pelo procedimento

por Letícia Orlandi 08/04/2014 09:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
REUTERS/Eric Gaillard
A depilação a laser pode ser utilizada em quase todos os tons de pele, incluindo as morenas e negras. O tratamento, no entanto, pode ser mais demorado (foto: REUTERS/Eric Gaillard )
Você sabia que pessoas com pelos naturalmente loiros e ruivos têm poucas chances de conseguirem bons resultados com a depilação a laser? E sabia que hoje o tratamento pode ser realizado sem dor? Das preocupações com o incômodo até as restrições ao tipo de pele, alguns mitos cercam essa técnica de depilação.

O laser é uma opção para mulheres e homens – sim, para eles também – que desejam diminuir a frequência das sessões para a retirada dos pelos, mas é importante ficar atento às novidades tecnológicas e às indicações do método. Confira as dicas da fisioterapeuta dermatofuncional Amanda Anália Lopes, diretora da Clínica LM Laser:

1) A depilação a laser é definitiva? Ela é mais cara do que a convencional?
A depilação a laser não pode ser considerada definitiva. Existem células chamadas stem cells (ou células totipotenciais), que podem produzir um novo pelo. Essas células não morrem durante a depilação a laser. Algumas alterações hormonais, normais ou não (como as causadas pela gravidez, o início da menstruação e o uso de medicações) podem estimular essas células a originar novos pelos. Segundo a literatura, pode ser esperada uma redução de até 90% dos pelos.

Divulgação
A fisioterapeuta dermatofuncional Amanda Anália Lopes: inovações já permitem que o tratamento seja realizado realmente sem dor (foto: Divulgação)
Após serem realizadas as principais sessões, que são, em média, 6 para as mulheres e 10 para os homens, quando se tem um resultado satisfatório, podemos dizer que essa pessoa entrou em fase de manutenção. Ou seja, deve-se realizar sessões de acordo com a volta do crescimento dos pelos.

O intervalo entre as sessões de manutenção varia de acordo com cada indivíduo, podendo ser de 3 em 3 ou 6 em 6 meses, ou até de ano em ano ou mais. Para a manutenção, não é necessário realizar todas as sessões novamente. Na maioria dos casos, apenas uma sessão é o suficiente. A depilação a laser é mais cara que a convencional, mas traz benefícios como a solução dos pelos encravados e a praticidade.

2) O tratamento é doloroso?
Existem vários tipos de aparelhos para depilação a laser de diodo. Com a maioria deles, o tratamento é doloroso. Há a necessidade da utilização de pomadas anestésicas e jatos de ar frio para aliviar a dor. Mas com o avanço da tecnologia, agora temos disponível no mercado o LightSheer Duet, aparelho que utiliza uma tecnologia a vácuo associada ao laser de diodo. A pessoa não sente o pulso do laser, por isso, é praticamente indolor e dispensa a necessidade de cremes anestésicos e/ou jatos de ar frio para alívio. Com a evolução dos equipamentos, tornou-se mito afirmar que a depilação a laser é sinônimo de dor.

3) A depilação a laser é indicada para homens?
Sim. Principalmente após o surgimento de aparelhos mais modernos, o número de homens que procuram o método cresceu, principalmente para a barba. O hábito de se depilar está se tornando cada vez mais comum entre os homens.

A Sociedade Brasileira de Medicina Estética aponta o crescimento da procura por tratamentos estéticos masculinos, incentivados pela praticidade e procedimentos indolores.

4)Apenas as pessoas com pele clara e pelos escuros podem adotar a técnica?
A depilação a laser é indicada para quase todos os tons de pele, incluindo as negras. O tratamento em peles escuras é mais demorado, mas possível. Apesar de o laser ser atraído pela cor e de as peles negras possuírem maior quantidade de melanina (substância que dá o tom à pele), os equipamentos mais novos apresentam um mecanismo de regulagem do comprimento e da intensidade da luz, permitindo o uso na pele morena ou negra.

Euler Junior/EM/D.A Press
Evolução dos aparelhos ampliou o uso também entre os homens (foto: Euler Junior/EM/D.A Press)
É importante esclarecer, no entanto, que qualquer tipo de depilação a laser é indicada somente para pelos escuros. A pouca concentração de melanina nos pelos loiros e ruivos faz com que o tratamento se torne ineficiente. Da mesma forma, nas regiões do corpo que já apresentam pelos brancos, apenas os fios escuros serão atingidos.

5) O número de sessões varia de pessoa para pessoa?
Sim. O número de sessões depende do tipo de pelo e de pele: quanto mais grosso e escuro for o pelo e quanto mais clara for a pele, mais rápidos serão os resultados. Em média, são indicadas 6 sessões para as mulheres e 10 sessões para os homens.

6) É verdade que não posso tomar sol durante o tratamento?
O profissional que realiza o tratamento deve indicar um bloqueador solar, além de fornecer orientações específicas sobre o banho de sol. Porém, o ideal é evitar a exposição direta ao sol logo após as sessões de depilação e não realizar o tratamento em peles recentemente bronzeadas.

7) Posso me depilar com outros métodos entre as sessões?
Durante o tratamento, o pelo não deve ser arrancado pela raiz de forma alguma. Somente o uso de lâminas é permitido. A depilação com cera quente ou fria, pinça, eletrólise ou qualquer outro método que arranque o pelo não deve ser realizado por mais ou menos quatro semanas antes e durante o tratamento a laser. O uso de lâminas é permitido porque este procedimento preserva a estrutura do pelo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA