Violência contra a mulher: sociedade ainda tem muito o que avançar, diz Dilma

Nesta quinta-feira, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou pesquisa sobre o tema

28/03/2014 13:18

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Um dia após a divulgação de estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) sobre a violência contra a mulher, a presidente Dilma Rousseff escreveu, na sua conta pessoal no microblog Twitter, que a pesquisa mostra que a sociedade brasileira "ainda tem muito o que avançar" no assunto.

Segundo a pesquisa, a maioria dos brasileiros considera que merecem ser atacadas aquelas que usam roupas que revelam o corpo. Também é majoritário o grupo que acredita que, "se a mulher soubesse se comportar", as estatísticas de estupro seriam menores.

"Pesquisa do Ipea mostrou que a sociedade brasileira ainda tem muito o que avançar no combate à violência contra a mulher", escreveu Dilma. "O resultado deixa claro o peso das leis e das políticas públicas no combate à violência contra a mulher, mostra também que governo e sociedade devem trabalhar juntos para atacar a violência contra a mulher, dentro e fora dos lares." "Tolerância zero à violência contra a mulher".

 

O levantamento do Ipea mostrou que 58,5% dos entrevistados concordaram totalmente ou parcialmente com a frase "Se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros". Os pesquisadores avaliaram também a seguinte frase: "Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas". O levantamento mostra que 42,7% concordaram totalmente com a afirmação e 22,4% parcialmente; 24% discordaram totalmente e 8,4% parcialmente.

 

Com agências

 

 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA