Aulas especializadas ajudam adultos a vencer o medo de nadar

Crescer sem saber nadar, seja por fobia, seja por falta de oportunidade, ainda é motivo de vergonha para muitas pessoas

por Revista do CB 22/03/2014 15:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Janine Moraes/CB/D.A Press
Joani, Maria Helena e Estela tinham medo de água: as aulas, depois de adultas, ajudaram a superar o trauma e a fortalecer a amizade (foto: Janine Moraes/CB/D.A Press)
Na Grécia Antiga, o filósofo Platão afirmava que “o cidadão educado era aquele que sabia ler e nadar (Lei 689)”. Saber nadar permanece até hoje como uma questão importante na vida do ser humano. Considerada uma atividade completa, a natação mexe com a musculatura do corpo inteiro e auxilia no desenvolvimento mental. É justamente com o objetivo de promover o crescimento corporal e social que muitos pais incentivam, desde cedo, os filhos a praticarem o esporte. Algumas pessoas, porém, não tiveram oportunidade de fazer parte dessa realidade aquática na infância, mas nem por isso desistiram de aprender.

Como a natação é um esporte que não tem idade, a iniciação de adultos tem sido cada vez mais comum — muitos deles porque ainda não aprenderam a nadar, outros porque buscam vencer o medo e realizar um antigo sonho. Para aprender a nadar, é imprescindível um acompanhamento profissional e entender que o único empecilho nessa missão é você mesmo. A vergonha, porém, ainda é uma barreira na hora do aprendizado.

Maria Helena Saenger, voluntária, 64 anos, Joani Gomes, dona de casa, 69 anos, e Estela Ramos, professora de educação física aposentada, 48 anos. O que essas três mulheres têm em comum? Elas morriam de medo de nadar, conheceram-se na aula de natação e realizaram um sonho. Hoje, são amigas inseparáveis, mas já passaram por muitos momentos de dificuldades e conquistas. Cada uma com uma história peculiar de superação.

Maria Helena morria de medo de nadar, mas, assim que se aposentou, percebeu que já era hora de dar esse passo na vida e decidiu se “jogar na água”. Estela era professora de educação física e já sabia nadar, porém tinha muito medo de água. Joani Gomes sofria de síndrome do pânico e praticamente não saía de casa. A dona de casa foi levada para a aula de natação pela primeira vez pela filha e contra a sua vontade. Por diversas vezes, ela desistiu da aula. Entre tantas idas e voltas, Joani finalmente venceu as barreiras, aprendeu a dar as primeiras braçadas e acabou de vez com a síndrome do pânico. “Eu me considero uma vencedora, porque tudo que eu tinha vontade de fazer eu fiz depois da natação. A aula foi como uma porta aberta para qualquer outra coisa.”, afirma.

Além de superar os medos, as aulas ajudaram a aumentar a segurança, a autoestima, a saúde e a incrementar outras atividades físicas combinadas com a natação. Elas também garantem que o apoio em grupo foi fundamental para o desenvolvimento das aulas.

No caso dos adultos, é ensinada uma técnica diferente da que é passada para crianças. O adulto carrega uma bagagem de experiências, medos e, naturalmente, já tem noção do perigo, ao contrário das crianças, que são destemidas e não têm ideia da periculosidade da água — a menos que ela já tenha sofrido algum trauma. Nadar é um ato simples, mecânico e jamais esquecido.

Existem oficialmente quatro estilos de natação: crawl, costas, peito e borboleta. Mas, para a professora de natação Cristina Vasconcelos, o mais importante é a adaptação do aluno na água. “O mais difícil não é nadar os quatro estilos. Mas, sim, a sua adaptação na água, sentir a temperatura e entender o que está acontecendo com você. A partir do momento que começa a sentir isso, aí é só relaxar”, afirma a professora.

Por que devo aprender a nadar agora?

1 -O primeiro motivo é em prol da saúde. A natação melhora a respiração, o equilíbrio, relaxa e trabalha todos os músculos do corpo.

2 -Outro benefício é o da sobrevivência. Nadar é uma forma muito eficiente de preservar a vida em situações de perigo. Muitas pessoas morrem afogadas, por se arriscarem na água sem saber nadar.

3 -O terceiro motivo — e talvez o que mais afeta os adultos — é o fator social, de lazer. Imagine você numa praia, num clube, num cruzeiro, em passeios de barco sem saber nadar? Muitas atividades de lazer têm água envolvida.

Como aprender com tranquilidade:
Procure um profissional. Jamais tente aprender com amigos ou qualquer outra pessoa que não seja devidamente qualificada.

-Não se compare com ninguém. Cada um tem seu tempo e seus limites.
-Procure uma escola de natação na qual você se sinta à vontade e acolhido.
-Fique relaxado. A natação é um momento de tranquilidade e prazer.
-Vá com calma. É necessário uma etapa de cada vez, não é preciso ter pressa para aprender a nadar.
-Não tenha vergonha. Ser adulto e não saber nadar é perfeitamente normal. Assuma seus medos e respeite seus limites.
-Não desista. Todos são capazes de aprender.

Iniciantes x fóbicos
Ser um adulto iniciante na natação e ter fobia de água (hidrofobia) são coisas bem distintas. O iniciante apenas não teve oportunidade de aprender a nadar na infância por algum contratempo da vida. Já quem tem fobia de água sofreu algum trauma, e é necessário uma espécie de terapia durante as aulas. Desse modo, a pessoa tenta superar os medos e as dificuldades dentro da água. Muitas escolas de natação oferecem aula especial para pessoas fóbicas.

O tempo de aprendizado é muito relativo. Cada um tem seu tempo e seus limites. O importante é ressaltar que todos são capazes de aprender, independentemente de idade, sexo, altura ou peso. Basta relaxar e sentir prazer de estar dentro da água. Mergulhar de vez na natação é um importante passo na vida dessas pessoas, é preciso muita paciência e tranquilidade. Ao lidar com um trauma, a pessoa está lidando com emoções. O importante é perceber que além de a natação trazer benefício para a saúde, ela é uma fonte de sobrevivência e de lazer.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA