A insônia pode causar de uma simples irritabilidade até o aumento de risco de enfarte e AVC

A falta de sono pode causar também depressão e doenças respiratórias. Em qualquer caso, é possível minimizar os danos com mudanças de comportamento e na alimentação

por Gláucia Chaves 11/03/2014 15:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Valdo Virgo / CB / DA Press
Clique para ampliar e saber mais sobre os efeitos da insônia (foto: Valdo Virgo / CB / DA Press)
Cabeça pesada, olhos fundos e raciocínio lento: para quem já teve o desprazer de passar uma noite em claro, os sintomas são familiares. Os efeitos de não dormir direito, contudo, não param por aí. Arritmias, problemas de crescimento (no caso de crianças), irritação e ganho de peso estão entre as consequências de um sono não saudável. Dirceu Valadares, diretor de comunicação da Fundação Nacional do Sono (Fundasono), explica que a principal causa da insônia é a ansiedade. “No frigir dos ovos, ansiedade é medo, apreensão”, completa o psiquiatra e especialista em medicina do sono.

Quando a pessoa está ansiosa, substâncias produzidas pelo corpo responsáveis pela tranquilidade pré-soneca, como a serotonina, ficam em baixa. “Se esse e outros hormônios estão em baixa, a pessoa fica mais temerosa e não consegue dormir”, detalha Valadares. E aí a bola de neve está formada. “Insônia é sempre um sinal de que algo não está bem”, alerta. Insônia também pode ser consequência de problemas de saúde, como depressão ou doenças respiratórias. Em qualquer caso, é possível minimizar os danos com mudanças de comportamento e na alimentação. “Vivemos em uma sociedade com muitos estímulos, inclusive tecnológicos”, analisa o médico. “Insônia é uma queixa da privação de sono.”

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA