Febre amiga: em crianças, elevação da temperatura do corpo nem sempre é um sinal preocupante

Na maioria das vezes, febre é resultado de um mecanismo de defesa do corpo que entra em ação para combater agentes externos agressores, especialmente os vírus

por Flávia Duarte 01/03/2014 16:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Em geral, todas as mães ficam apreensivas quando os filhos apresentam sinais de febre, o sintoma mais frequente na pediatria. O que muitas não sabem, no entanto, é que o aumento da temperatura do corpo nem sempre é sinal de doença. A febre, na maioria das vezes, é resultado de um mecanismo de defesa do corpo que entra em ação para combater agentes externos agressores, especialmente os vírus. Ela pode se dissipar da mesma forma que se instalou — de repente —, sem motivo para preocupação além do acompanhamento habitual da saúde da criança.

“Precisamos desmistificar a ideia de que febre está associada a algum malefício. Ao contrário, ela ajuda no combate a infecções”, explica Marco Aurélio Sáfadi, infectopediatra e presidente do Comitê de Pesquisa Clínica da Sociedade Latino-Americana de Infectologia Pediátrica (Slipe). O médico reforça ainda a importância de compreender os sinais do corpo: “Estudos mostram que crianças com catapora ou resfriados comuns que tomaram antitérmicos para baixar a febre demoraram mais tempo para combater as infecções do que aquelas que não tomaram o mesmo medicamento”.

CB/D.A Press
Clique na imagem para ampliá-la e saiba mais (foto: CB/D.A Press)

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA