Homens cada vez mais jovens aderem aos pelos no rosto

Caracterizado por cobrir todo o rosto e receber aparas apenas nas arestas, o modelo retrô é o que mais tem agradado

por Márcia Maria Cruz 08/02/2014 13:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Símbolo de masculinidade, a barba literalmente faz a cabeça de muitos homens. De tempos para cá, o visual barbudo está cada vez mais em voga, principalmente entre os jovens. “É uma tendência tanto no meio artístico como no meio social. Uma tendência internacional”, afirma o designer de barba do Kbloo Barber Shop, Marcelo Paulors, também conhecido como Guth. Se em países da Europa, onde o inverno é mais rigoroso, os pêlos no rosto ajudam a proteger do frio, em países tropicais, como o Brasil, dão ao homem um ar despojado.

Ramon Lisboa/EM/D.A Press
"Para fazer um personagem tive que tirar a barba, olhava-me no espelho e não me reconhecia", lembra o ator Saulo Salomão, 29 anos (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Ao contrário de tempos atrás, quem ostenta uma barba são os garotos mais antenados. Na opinião de Marcelo, a mudança no comportamento já foi captada até mesmo pela publicidade. Se, antes, os modelos de beleza eram vistos com rostos bem lisos agora já aparecem com a barba por fazer. “É a barba clássica. Não são aquelas desenhadas”, afirma. A escolha estética faz com que as barbearias voltem a ser ponto de encontro dos homens, como ocorria no início do século 20. “Antigamente, as barbas eram usadas por senhores, homens mais velhos. Agora, até mesmo o adolescente quer deixar crescer”, observa Marcelo.

Ela começa a se formar com um dia sem retirar os pelos do rosto. O visagista Ramon Ruiz considera que a barba por fazer pode dar um ar de despojado. Em sua avaliação, no entanto, quando os pelos atingem tamanhos muito grandes o homem pode perder o charme. “Na linguagem visual, a barba cheia não seduz tanto as mulheres. De certa forma, ela é um sinal de hierarquia entre os homens”, pondera. Para ele, o homem pode brincar com a barba e o bigode, mas é preciso ficar atento ao formato do rosto para decidir o que mais combina. Para obter o equilíbrio, a dica é prestar atenção na angulação da face, se é redonda, quadrada ou mais retangular. “O rosto redondo não combina com cavanhaque. A dica é harmonizar linhas retas como linhas curvas”, ensina.

Quem decide ter barba também deverá reservar tempo para se dedicar a ela. Para que os pêlos fiquem bonitos e macios, é preciso lavá-los e até mesmo hidratá-los. “Uma dica é ter um xampu e condicionador para barba. É bom lavar no sentido em que o pelo cresce.” Como os pelos aumentam a superfície de contato com a poeira e bactérias, para que a barba seja sinônimo de estilo e charme é preciso cuidado para não aparentar desleixo.

De tempos em tempos, é importante aparar os pelos. Com todo o avanço, o ritual de barbear se modernizou, mas ainda é um momento para bater papo dos mais variados assuntos. O primeiro passo é colocar uma toalha quente sobre o rosto para abrir os poros. Depois, aplica-se um creme ou gel para barbear, deixando agir por dois minutos. Na sequência, entra em campo a navalha para aparar e estilizar. “Os homens querem a barba retrô. Basicamente, aparo o pescoço e um pouco no rosto.” O auxiliar de engenharia Matheus Oliveira, de 28 anos, aproveita as idas ao cabeleireiro, quinzenalmente, para acertar a barba. “Eu a uso bem baixinha. Gosto dela bem certinha”, diz. Há três anos ele aderiu à tendência. O primeiro passo foi um cavanhaque e, na sequência, pelos cerrados. “Queria uma imagem de alguém mais responsável, mas sem deixar de ser moderno e com um visual diferente.”

Euler Júnior/EM/D.A Press
O empresário Gustavo Henrique começou a usar barba há 9 meses por razões profissionais (foto: Euler Júnior/EM/D.A Press)
Nova Tendência entre jovens

O ator Saulo Salomão, de 29, não consegue se ver sem barba. “Para fazer um personagem tive que tirar a barba, olhava-me no espelho e não me reconhecia”, lembra. Quando criança, no Vale do Jequitinhonha, ele colocou até cocô de galinha no rosto, porque diziam que fazia crescer a barba. Manter o pelo no rosto, na opinião de Saulo, é um processo de autoaceitação. O traço é fundamental para a imagem, tanto quanto o fato de ser um pouco calvo. “Tenho pouco cabelo e muita barba. Gosto de brincar com isso”, diz. Cuidar do rosto para ele é uma diversão e um compromisso diário. Os pelos da barba são lavados duas vezes ao dia. No entanto, costuma ir ao barbeiro quando vai fazer algum trabalho publicitário e precisa que a barba esteja impecável.

O empresário Gustavo Henrique Nébias Andrade, de 31, começou a usar barba há nove meses por razões profissionais. Ao se tornar proprietário de uma padaria, pensou que era uma forma de passar mais formalidade. “Sempre tive uma aparência muito jovem e pensei que a barba poderia trazer um ar mais sério e um aspecto de pessoa mais velha. Afinal de contas, sou mais novo que a maioria dos funcionários. Também não queria que os clientes antigos pensassem que a padaria foi comprada por um menino novo, com cara de menino” afirma. Mas a barba também o agrada esteticamente. “Gosto do visual da barba, pois traz um aspecto descolado”, completa.

Os cuidados são por conta própria. Gustavo apara os pelos com máquina uma vez por semana. “A dificuldade é retirar o excesso que fica no pescoço e se a barba não estiver bem cuidada o aspecto de ‘descolado’ pode ser confundido com desleixo”, afirma. Gustavo também tem vários amigos que aderiram ao visual barbudo. “Gosto desta tendência dos jovens usando barba”, finaliza.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA