Ciência comprova que uma maçã por dia previne AVC e infarto

Segundo cientistas da Universidade de Oxford, a fruta tem efeito semelhante ao da estatina, droga prescrita para inibir o colesterol

por Vilhena Soares 12/01/2014 13:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
“Uma maçã por dia pode evitar muitas idas ao médico.” Famoso no Reino Unido, o ditado acaba de ganhar comprovação científica. Para quem tem mais de 50 anos, comer a fruta diariamente pode ser uma boa estratégia de prevenção de infarto e acidentes vasculares cerebrais, de acordo com estudo publicado no British Medical Journal (BMJ). Segundo cientistas da Universidade de Oxford, a fruta tem efeito semelhante ao da estatina, droga prescrita para inibir o colesterol.

Fizeram parte da pesquisa pacientes que ingeriam a estatina para reduzir o risco de doença vascular. Usando modelos matemáticos, os estudiosos analisaram o efeito da droga sozinha e em pessoas que também tinham o hábito de comer uma maçã por dia. Eles constataram que a proteção cardíaca foi maior em quem fazia parte do segundo grupo. “Isso só mostra como pequenas mudanças efetivas na dieta podem ser benéfica e fazer a diferença em busca de uma vida mais saudável e na prevenção de doenças cardíacas e derrames”, declarou Briggs.

Breno Fortes/CB/D.A Press
A maçã tem propriedades que provocam efeito igual ao de inibidores de colesterol (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
Os pesquisadores justificam a busca por um auxiliar à estatina pelos efeitos colaterais provocados por ela. Em pacientes com mais de 50 anos, a ingestão da substância aumenta os riscos de complicações musculares e diabetes. “Embora atualmente não existam prescrições médicas de ingestão de maçãs com o uso das estatinas, poderíamos todos ter esse benefício simplesmente ao comer mais frutas”, destaca Briggs.

Moderação
Segundo André Medina, cardiologista do Hospital do Coração do Brasil, o trabalho mostra dados interessantes, mas precisaria ser aprofundado com experimentos para se tornar mais conciso cientificamente. “Acredito que essas comparações são interessantes, mas seria muito melhor se um acompanhamento fosse feito com esses pacientes para saber, no cotidiano, se eles realmente tiveram melhoras e, digamos, uma proteção maior, a problemas cardiovasculares ao comerem a maçã diária”, observa.

Medina alerta que as estatinas precisam ser dosadas corretamente justamente para evitar os efeitos colaterais. O cuidado deve ser redobrado, segundo ele, entre os cardíacos. “Acredito que nenhum médico vai ser contra uma alimentação mais baseada em frutas e legumes. Com certeza, esse é o caminho que pode auxiliar a prevenir doenças, como as cardíacas”, destaca.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que as pessoas comam de três a quatro porções de fruta por dia, mas as estimativas internacionais indicam que mais de 65% da população não segue a orientação. Briggs calcula que, se adultos de todas as idades ingerissem uma fruta a mais por dia, cerca de 11 mil mortes por problemas cardiovasculares poderiam ser evitadas anualmente.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA