Bombeiros alertam para riscos de acidentes nas férias escolares

Pais têm que lidar com possíveis ocorrências de acidentes domésticos como quedas, intoxicação, queimaduras e afogamento

por Agência Brasil 10/01/2014 13:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcos Vieira/EM/D.A Press
De acordo com a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), as piscinas são responsáveis por 53% de todos os casos de mortes por afogamento de crianças entre 1 e 9 anos de idade (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
O período das férias escolares requer cuidados especiais com as crianças em casa. Os pais têm que lidar com possíveis ocorrências de acidentes domésticos como quedas, intoxicação, queimaduras e afogamento, casos frequentemente atendidos pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF).

O major Fábio Ribeiro recomenda aos pais o uso de cerca nas escadas e na cozinha; virar os cabos das panelas que estão no fogão para dentro e, se possível, evitar o acesso da criança à cozinha quando as refeições estiverem sendo preparadas. Além disso, o militar destacou a importância de colocar em armários altos os objetos cortantes e os produtos de limpeza, “de preferência trancados”.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), as piscinas são responsáveis por 53% de todos os casos de mortes por afogamento de crianças entre 1 e 9 anos de idade. “A criança tem que estar na piscina sempre acompanhada por um responsável e devem ser colocadas cercas ao redor das piscinas, além de não deixar brinquedos próximos à água”. Fábio Ribeiro destacou a importância do uso de capas sobre as piscinas para evitar o afogamento no caso de as crianças caírem na água.

O banheiro é outro local que requer atenção, uma vez que no banho podem ocorrer quedas. Outro ponto importante para evitar surpresas indesejáveis é a atenção com janelas e sacadas. Os pais devem tomar cuidado, evitando cadeiras e sofás próximos desses locais, principalmente nas sacadas que não tenham rede de proteção, o que pode ser fatal.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA