Na lista de promessas para ano novo, saúde mental não pode faltar

Momentos de paz, de mais escuta e menos fala, e de meditação são importantes para buscar a saúde mental. Ter bom humor e refletir antes de agir ajudam no equilíbrio como um todo

por Luciane Evans 02/01/2014 07:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jair Amaral/EM/D.A Press
Dayse Climaco ficou viúva há um ano e meio e, mesmo com saudades do companheiros, não desistiu da vida. Ela faz caminhadas, exercícios para equilíbrio, natação e agora ioga (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
“Em 2013 fiz uma lista de mudanças que queria para a vida, mas não cumpri”. Essa será, certamente, uma das frases mais repetidas neste início de 2014. Você, que pode fazer parte dessa turma que escorregou, tem duas escolhas: lamentar ou morrer de rir da situação. É isso mesmo. Enquanto alguns tendem a ver o lado negativo, outros não vão levar tão a sério algumas situações, ainda que seja o descumprimento de metas de fim de ano. Quem optar por encarar o objetivo perdido com leveza estará cumprindo um dos principais mandamentos para uma mente saudável: o bom humor. Além dele, é fundamental se conhecer, escutar mais, procurar o silêncio e saber reagir diante das leituras que fazemos sobre os vários episódios da vida.

Para este terceiro e último dia da série “Hora de mudar”, o Estado de Minas ouviu especialistas sobre a saúde da mente. Quais seriam as dicas e atitudes que devemos tomar para cuidarmos dessa parte tão importante do nosso corpo? As respostas são muitas. Segundo destaca a terapeuta ocupacional, com formação em saúde mental e professora da disciplina memória e espontaneidade da Faculdade Estácio de Sá, Patrícia Tavares, o começo de um novo ano mobiliza nossas reflexões e é um bom momento para cuidarmos do espírito. “Uma boa alimentação somada à atividade física regular é fundamental para a saúde mental, que é determinada por fatores psicológicos, espirituais e sociais. Ela depende de componentes hormonais e o exercício físico tem um impacto direto nisso, pois vai abastecer nosso corpo de hormônios que favorecerem o bem-estar mental. Assim como alguns alimentos que potencializam esse bem-estar”, comenta.

O autoconhecimento é outro ponto fundamental para quem busca o equilíbrio da saúde mental. “É necessário que a gente pense sobre o que nos irrita, o que nos estressa, quais são as coisas que não perdoamos em nós mesmos, qual a perda que não elaboramos bem”, pontua Patrícia, mostrando aí alguns dos questionamentos que devem ser feitos para alcançar o autoconhecimento. Investir no bom humor, sobretudo consigo mesmo, é fundamental para uma mente sã. “Ponderar nossas imperfeições, nossos trajetos que não foram realizados. Muita gente, hoje, vai lamentar não ter cumprido suas metas de 2013, então, por que não rir disso? Ter bom humor traz mais flexibilidade e faz com que aproveitemos o presente. Ser espontâneo é não estar ligado ao passado nem ao futuro. Aceitar as circunstância do que está sendo apresentado”, defende.

Para se conseguir essa leveza diante das coisas da vida, a especialista indica atividades que podem ajudar, como ioga e psicoterapia. “O segundo recurso é o convívio. Quando convivemos com pessoas bem-humoradas a vida nos parece mais leve.” Para o médico e ex-presidente da Academia Mineira de Medicina e da Associação Médica de Minas Gerais Geraldo Caldeiras, para ter uma mente saudável é preciso aprender a não reagir imediatamente diante das leituras que fazemos sobre os vários episódios da vida. “Nossas atitudes obedecem às nossas leituras. Se estou pensando que fulano ri ou não gosta de mim, vou agir de acordo com isso.” O médico aconselha diante dessas leituras a refletir antes de agir. “Isso faz com que a pessoa não aja com impulsividade, sem conflitos. Na maioria das vezes, o que penso do que o outro está pensando está errado.”

PENSAMENTO
Defendendo a qualidade do pensamento, Geraldo Caldeiras explica que o ser humano tende a usar projeções. “É colocar na cabeça do outro o que estou pensando. Essa projeção é uma das coisas que fazem as pessoas sofrerem, pois nos baseamos em nossos próprios pensamentos. Temos a inquietação do olhar do outro. Então, penso no que o outro pensa de mim. Ao frear essa impulsividade, você terá a qualidade do pensamento. Dar-se tempo para fazer leituras, antes de reagir. Antes de fazer as interpretações, vou clarear as ideias, pensar sobre aquilo. Muito mais importante do que os fatos são as versões do fato.”

Para tudo isso, o médico recomenda sabermos escutar mais. “Quando mais eu souber escutar, melhores serão as minhas leituras sobre determinada situação. Se não escuto, sou imediatista e tenho mais chances de errar minha leitura. O silêncio, ao contrário do que se pensa, não é passivo, é ativo. Quando estou em silêncio, estou refletindo e clareando as ideias. Penso no que vou falar e no que vou ouvir. Não é por acaso que temos dois ouvidos e uma boca. Escutar é muito mais que ouvir. Temos que olhar escutando, escutar olhando. Nosso cotidiano é feito de encontros. É no encontro com o outro que podemos sofrer mais ou menos. São essas mudanças que nos trazem qualidade de vida”, acrescenta Caldeiras.

MENTE SÃ
É com bom humor, respeitando os silêncios e sempre se permitindo refletir, que, todos os dias, Dayse Batista Clímaco, de 75 anos, acorda às 5h para fazer caminhada. Dá 14 voltas em uma pista de 400 metros em silêncio. “Meu pensamento vai longe. Reflito sobre tudo. Gosto de estar sozinha durante a atividade”, diz. Dona de uma mente saudável, ela diz ter uma saúde de uma menina de 15 anos. “Meus exames estão ótimos, os médicos elogiam”, orgulha-se. Viúva há um ano e meio, ela não deixou a vida, mesmo com a saudade. “Tenho alimentação saudável, não tomo refrigerante, não como doces, nem nada com gordura. Faço natação, musculação, exercícios de equilíbrio, caminhada e, agora, ioga”, diverte-se, certa de que a vida de se sentar em frente à televisão, reclamando, não é a sua. “Enquanto tiver força, quero fazer meus esportes. Isso, sim, é vida”, diz.


Pense positivo e agradeça
Maria José Marinho iogaterapeuta e reiki master

Para cuidar da mente e do espírito, independentemente de ser adepto de alguma religião, a iogaterapeuta com mais de 40 anos de experiência em ioga e reiki Maria José Marinho, proprietária da Clínica Ponto de Equilíbrio, em Belo Horizonte, explica que o primeiro passo é ter pensamentos positivos. "Com os pensamentos, você pode construir ou destruir algo. Eles têm um poder muito forte", diz, indicando um banho de espiritualidade para que haja uma limpeza espiritual para o novo ano que chega. "O melhor é o banho com rosas brancas e amarelas. As primeiras vão dar a purificação e as amarelas vão trazer mais prosperidade, dinheiro e sucesso." A quem quer começar 2014 com o pé direito, Maria José indica agradecer o ano que passou, as pessoas que se conheceu e as experiências vividas. "E que as coisas ruins sejam vistas como oportunidades para o crescimento e aprendizado. Para a hora da virada, deve-se acender uma vela, pois quem acende é o primeiro a ser iluminado. Tocar um sino também é uma boa dica para quem quer mudar os tons dos pensamentos dos ambientes." Para todo o ano, ela aconselha o pensamento do "eu quero". "Aquele que pensa em ‘gostaria’ está no passado. Com o verbo no presente, você atrai o aqui e o agora." Uma lição que Maria José segue e aconselha é o Dharma, uma palavra sânscrita que tem como significado virtude, dever , lei, justiça. "Dentro disso, o Dharma tem uma lição: fazer bem àquilo que a vida colocar em suas mãos."

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA