Evolução tecnológica traz mais qualidade de vida para quem tem diabetes

Monitoramento contínuo, bombas de insulina e até pâncreas artificial são avanços dos últimos anos para controle da glicemia. Mas acesso aos aparelhos também precisa evoluir. Veja como funcionam os principais métodos, conheça aplicativos poderosos e saiba a diferença que a tecnologia faz na vida das pessoas com diabetes

por Letícia Orlandi 27/12/2013 09:30

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Arte: EM / DA Press
(foto: Arte: EM / DA Press)
O tratamento do diabetes é uma das áreas em que a medicina mais evoluiu nos últimos anos. Essa evolução passa por pequenas coisas que fazem parte do dia a dia da pessoa que tem a doença metabólica, como as agulhas de aplicação de insulina, que hoje são muito mais finas e praticamente indolores; e pelos sistemas mais modernos de monitoração das taxas de glicose; mas também pelo desenvolvimento do pâncreas artificial (veja mais adiante). Após um longo caminho desde as antigas seringas de vidro, riscos de desmaio e emergências hospitalares, a tecnologia significa, para quem tem diabetes, duas coisas essenciais: mais qualidade de vida e mais autonomia. Que o digam Hammuel e Natália, que você vai conhecer nesta reportagem, dividida em três partes. É só clicar nos links abaixo:
 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA