Meninas amadurecem mais cedo que meninos, afirma pesquisa

Pesquisadores descobriram que o processo de amadurecimento do cérebro começa cerca de cinco anos mais cedo em meninas que em meninos. A atividade é responsável por deixar o cérebro mais eficiente

27/12/2013 17:22

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Banco de Imagem / Sxc.hu
O cérebro das meninas começa a se tornar mais eficiente entre os 10 e 12 anos, já nos meninos a atividade só começa entre os 15 e 20 (foto: Banco de Imagem / Sxc.hu)
Toda menina já sofreu na mão de um menino malicioso e toda mãe já tentou explicar: 'é que as meninas crescem mais cedo'. Apesar da maioria das crendices de mães não serem confirmadas cientificamente, essa é apoiada por uma equipe internacional de pesquisadores. Liderados por professores da Universidade de Newcastle, na Inglaterra, o grupo, que incluía as Universidades de Glasgow, da Escócia, e Seul, da Coréia do Sul, estudava o cérebro humano e chegou, acidentalmente, à conclusão de que meninas amadurecem mais cedo que meninos.

A descoberta aconteceu durante um experimento que realizava ressonâncias magnéticas com 121 voluntários de idade entre quatro e 40 anos. Nele, os pesquisadores descobriram que, ao amadurecer, o cérebro suprime e armazena algumas informações e se foca no que é mais importante. E o processo começa cerca de cinco anos antes em meninas.


Em meninas, a atividade cerebral começa a ficar intensa entre os 10 e 12 anos. Já nos meninas, os testes indicaram que os mesmos processos começaram a acontecer com mais frequência entre os 15 e 20 anos.

A pesquisa aponta que conexões curtas são geralmente descartadas, enquanto que conexões longas entre partes diferentes do cérebro – responsáveis, por exemplo, pela associação de visão e audição – são preservadas. “A perda de conectividade durante o desenvolvimentos do cérebro pode, de fato, ajudar a melhorar as funcionalidades cerebrais ao reorganizar a rede de maneira mais eficiente”, explica a pesquisadora Sol Lim. “Em vez de conversar com muitas pessoas aleatoriamente, conversar com poucas pessoas que vivem em uma área há muito tempo é a maneira mais eficiente de achar seu caminho. De maneira parecida, reduzir algumas projeções no cérebro ajuda a se focar na informações essenciais”, conclui.

Trabalhos anteriores já indicavam que o cérebro fazia esse tipo de supressão, especialmente durante a puberdade. “Mas foi inesperado descobrir que essas mudanças acontecem bem mais cedo em garotas quando comparado à rapazes”, disse o pesquisador Marcus Kaiser ao jornal britânico The Telegraph.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA