Método francês de terapia propõe alívio de dores através de análise do sistema músculo-esquelético

O método de reequilíbrio e alinhamento corporal analisa profundamente as dores e os problemas na coluna e demais articulações para identificar suas origens, nem sempre músculo-esqueléticas

por Carolina Cotta 17/12/2013 12:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Método Busquet/Divulgação
Toda alteração funcional e postural tem uma lógica e razão. Procuramos evidências em todas as partes do corpo - Leonardo Machado, fisioterapeuta (foto: Método Busquet/Divulgação)

Eliminar tensões que geram dores, disfunções e deformações. É essa a proposta do método Busquet, um tipo de terapia manual muito difundido na Europa e ainda pouco conhecido no Brasil. Desenvolvido pelo fisioterapeuta e osteopata francês Léopold Busquet há mais de 30 anos, o método de reequilíbrio e alinhamento corporal analisa profundamente as dores e os problemas na coluna e demais articulações para identificar suas origens, nem sempre músculo-esqueléticas.

Segundo o fisioterapeuta Leonardo Machado, professor oficial do método no Brasil e na Europa, essa abordagem faz uma leitura do corpo como um todo para descobrir as causas das dores, disfunções ou alterações no funcionamento geral do organismo sem se ficar preso à análise do sistema músculo-esquelético. "Analisamos o corpo como um todo, todos os seus sistemas. Toda alteração funcional e postural tem uma lógica e razão. Procuramos evidências em todas as partes do corpo", explica.

Tudo começa com uma observação estática: como o corpo se mostra? Um exemplo é um quadro de gastrite. Segundo Leonardo, o corpo tende a ficar em uma posição de enrolamento. Essa hipercifose favorece a proteção e o conforto do organismo em relação ao órgão em questão. “Na avaliação estática temos a oportunidade de investigar essa ‘má postura’, na verdade uma postura fisiológica do corpo para se proteger. É uma postura inteligente”, explica.

O segundo passo do método é colocar em evidência os diferentes movimentos corporais (avaliação músculo-esquelética). O fisioterapeuta analisa como o corpo reage a uma série de movimentos, para que então seja definida a abordagem mais indicada. “Depois dessas duas etapas de avaliação, fazemos ainda uma busca das tensões internas de cada uma das cavidades corporais (avaliação visceral) até que seja realizada uma síntese e assim o tratamento. Alguma parte do corpo leva os músculos a uma tensão/contração, o chamado ponto causal. Tratamos esse ponto, que geralmente é de origem visceral, para que os tecidos corporais relaxem e, em seguida, eliminamos qualquer outra tensão residual decorrente do problema principal", explica Leonardo.

Não se trata de um método de diagnóstico médico, mas, a partir da avaliação, o fisioterapeuta pode servir como elemento integrador entre vários profissionais de saúde. O tratamento é feito manualmente, por meio de manobras que atuam liberando as tensões e devolvendo a mobilidade dos tecidos, melhorando assim a função das chamadas cadeias fisiológicas, os circuitos anatômicos pelos quais se propagam as forças organizadoras do corpo. Segundo o especialista, se realizado corretamente, o método alcança resultados satisfatórios já no primeiro atendimento.

SINTOMAS
As principais indicações são: problemas articulares, dores na coluna vertebral, hérnia de disco, tendinites, escolioses e outras alterações posturais, disfunção e dores na ATM, choro excessivo e perda de sono (em bebês).

Segundo Juliana Cabral Gomes, professora assistente do método no Brasil, as sessões duram de 45 minutos a uma hora. O número delas depende das particularidades do caso, mas em média são cinco encontros para o alívio inicial dos sintomas. “Em princípio, não há contraindicações. Contudo, o fisioterapeuta, ao realizar a avaliação inicial, poderá identificar alguma tensão importante que demande uma avaliação clínica por parte de um médico”, ressalta.

O corpo como um todo
Uma das principais diferenças entre o método Busquet e a fisioterapia tradicional é o fato de ele não abordar unicamente o sistema músculo-esquelético. Segundo Leonardo Machado, o método analisa o corpo como um todo, numa abordagem de dentro para fora, e não o inverso. A fisioterapia tradicional trata os sintomas, o método busca as causas.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA