Ceias de fim de ano podem ser nutritivas e prazerosas

Especialistas revelam que é possível ter uma alimentação saudável sem ser radical no final do ano. Aposta é usar ingredientes funcionais nas receitas

por Luciane Evans 13/12/2013 08:31

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Liana Sabo/CB/D.A Press
(foto: Liana Sabo/CB/D.A Press)
Está aberta a temporada de “peso a mais na consciência e no físico”. Com tantas comemorações, repletas de tentações que tiram o juízo de qualquer pessoa, o fim de ano chega com uma preocupação: como ficar satisfeito com a balança nesta época? É hora de dizer não a tantas delícias que só aparecem à mesa neste período do ano? Ou é tempo de chutar o balde e se entregar de vez à comilança? Nem tanto ao mar, nem tanto ao céu. Segundo especialistas da nutrição e da culinária, há, sim, uma forma de se controlar sem perder o prazer dessa alimentação típica de fim de ano. A substituição de alimentos calóricos por aqueles mais ricos em nutrientes é uma das dicas que, segundo eles, pode enriquecer o prato.

Uma boa notícia é defendida pela nutricionista Carla Faedo. “Ninguém deve deixar de comer essas delícias que só há no fim de ano.” De acordo com a profissional, o segredo é diminuir a quantidade que se come. “Deve-se ter uma alimentação em pequenas porções. Vivemos de dieta o ano inteiro, não é agora, quando há tantas delícias, que não vamos nos permitir. Uma dieta só funciona quando a pessoa não cai em abstinência de nada”, diz. A primeira dica de Carla é que, se a pessoa for cozinhar ou tem uma cozinheira para a ceia de Natal, por exemplo, deve adequar as receitas para torná-las mais saudáveis. “Uma rabanada, por exemplo, pode ser assada em vez de frita.”

Defendendo uma ceia mais funcional, Carla diz que ainda é possível adicionar ingredientes benéficos, como, por exemplo, em vez do tradicional arroz à grega com passas, levar à mesa um arroz integral com o fruto asiático da moda, goji berry, que tem o gosto das passas, porém, tem sido considerado um superalimento por nutricionistas, já que acelera o metabolismo, tem 50 vezes mais vitamina C que a laranja e é um excelente antioxidante. Para os que não conseguem comemorar o Natal e o ano-novo sem uma bebida alcoólica, Carla aconselha tomar água na mesma quantidade. “Se a pessoa toma champanhe ou cerveja, deve tomar a mesma quantidade de água. Isso vai equilibrar o organismo e ajudar o fígado no outro dia, sem contar que a água ajuda na saciedade e faz com que a pessoa consuma menos bebida alcoólica.”

Arquivo Pessoal
A culinarista Lidiane Barbosa destaca as propriedades nutricionais desses alimentos (foto: Arquivo Pessoal)
Mesmo sendo contra qualquer radicalismo nesta época do ano, Carla alerta que chutar o balde por mais de um dia pode colocar em risco toda uma dieta de cinco dias. “Há pessoas que mantêm uma alimentação equilibrada durante toda a semana, mas, nos fins de semana, relaxam. Com essa postura, perdem tudo aquilo que fizeram durante a semana.” A única condenação da especialista é o refrigerante, que, segundo ela, não pode ser levado à boca em dia nenhum. “Quando ele não é zero, ele tem gás, o que atrapalha na digestão, acumulando gordura, além de tirar o cálcio dos ossos.” Uma dica para quem quer comer pouco é segundo Carla, encher a mesa da ceia com frutas frescas e diversificadas.

ALGO A MAIS
O grande segredo, não só para as festas de fim de ano, mas para todas as tentações em que esbarramos durante os 12 meses do ano, está nos alimentos funcionais, segundo a culinarista Lidiane Barbosa. Ela explica que esses alimentos, além das propriedades nutricionais, têm algo a mais, como vitaminas, ômegas e outros nutrientes fundamentais para uma vida saudável. “Aqui no Brasil temos alguns catalogados oficialmente (veja quadro), como o alho, cebola, tomate, chá verde e outros. Trabalho a gastronomia de substituição, que é substituir ingredientes por esses alimentos funcionais”, comenta Lidiane.

Segundo ela, dá para ter essa postura nas receitas para as ceias de Natal. “Dá para fazer uma farinha funcional, usando sementes de chia e linhaça, e refogar com cebola e alho. O lombo, que muitas pessoas acham que não é tão saudável, é uma carne mais magra, dá para fazer uma biomassa de banana verde, que é mais nutritiva. Para uma rabanada, dá para usar pão sem glúteo, leite de amêndoas e canela em pó”, comenta, acrescentando que, ainda que ajuda no emagrecimento, essas substituições pelos alimentos funcionais na alimentação são qualidade de vida.

Farofa de Natal funcional
Lidiane Barbosa/Divulgacao
A opção promete ser saudável e deliciosa, com alho, cebola, cenoura, brócolis, couve-flor, couve e repolho, uva, chá verde, tomate, peixes, biomassa de banana verde - atua como probiótico -, semente de linhaça, semente de chia e leguminosas (foto: Lidiane Barbosa/Divulgacao)
Ingredientes
» 100g de quinoa em flocos
» 100g de gergelim torrado
» 100g de castanha do Brasil
» 50g de semente de girassol
» 30g de cúrcuma em pó
» 20g de semente de chia
» 20g de semente de linhaça
» Meia cebola picadinha
» 2 dentes de alho picadinhos
» 1 colher de sopa de manteiga ghee
» 50g de goji berries hidratadas ou cramberries ou uva-passa
» Sal marinho moído

Modo de preparo
Coloque no liquidificador a quinoa, o gergelim, a castanha, a semente de girassol, a cúrcuma e as sementes de chia e linhaça. Reserve. Em uma panela, refogue a cebola e o alho, deixe murchar e, depois,
acrescente a manteiga ghee (óleo purificado da manteiga em que toda a água, os elementos sólidos, toxinas da gordura do leite e lactose são removidos) e refogue mais um pouco. Acrescente duas xícaras da farinha processada no liquidificador, deixe torrar um pouquinho e, por último, acrescente as goji berries e acerte o sal.

Tempo de preparo: 15 minutos
Rendimento: 6 porções

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA