Aids: campanha quer mostrar que você pode ser um Pinóquio sem saber

No Brasil, um em cada quatro portadores não sabe que está infectado. Campanha de ONG francesa quer chamar atenção para a transmissão entre pessoas que desconhecem que estão com o vírus e brinca com o clássico da literatura infantil

por Gabriella Pacheco 28/11/2013 15:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Reprodução / Aides
No vídeo, um Pinóquio 'jovem' aparece em cenas quentes com uma garota. Ele 'mente' sobre estar protegido sem saber que tem o vírus HIV (foto: Reprodução / Aides)

Às vezes você pode mentir sem saber. É isso que a organização não-governamental (ONG) francesa Aides quer lembrar às pessoas em sua mais recente campanha de prevenção ao vírus HIV. O protagonista do vídeo é um Pinóquio na casa de seus 20 anos que tem uma noite quente com uma garota depois de uma balada. Ao final do vídeo, a companheira pergunta se o rapaz tem camisinha e o rapaz de madeira vê seu nariz crescer ao responder que não tem problema se eles continuarem sem.

A proposta é clara: mostrar quão importante é se testar e que prevenção nunca é demais. Apesar da redução no número de novas infecções, a Aids ainda é uma epidemia mundial. Os dados mais recentes da ONU indicam que, no final de 2011, a lista de infectados chegava a 34 milhões de pessoas. No Brasil, desde a década de 1980, foram confirmados cerca de 650 mil casos da doença, sendo quase 39 mil novos deles em 2011. No próximo domingo, dia 1º de dezembro, é celebrado o Dia Internacional de Luta Contra a Aids.

Veja o vídeo da campanha:


Segundo a Aides, só na Europa, mais de 650 mil pessoas não sabem que são portadores do vírus. De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil a proporção de desinformados é ainda maior e 150 mil pessoas convivem com o HIV sem saber que têm a doença, ou seja, uma a cada quatro portadores não sabe que está infectado. Além de colocarem sua saúde em risco ao não se testar, eles também ameaçam a saúde de seus respectivos parceiros e sem a informação é fácil perder o controle sobre a proliferação da doença.

Na contramão da tendência mundial que vem registrando queda no número de novas infecções, o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) observou um crescimento em novos casos da doença na Europa Oriental e na Ásia Central. No Oriente Médio e no Norte da África, desde 2006, esse número duplicou. Na América Latina e Caribe, o tratamento tem avançado e o Brasil é um dos sete países do continente que possui cobertura universal contra a doença.

A estimativa é de que 2,3 milhões de pessoas tenham sido infectadas pela doença em 2012 e que 1,6 milhões tenham falecido por complicações relacionadas à Aids.

Teste rápido
Atualmente, no Brasil, 345 Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA) disponibilizam o teste rápido anti-HIV, além de oferecer aconselhamento sobre prevenção, diagnóstico, tratamento e qualidade de vida, além das maternidades publicas e dos serviços especializados. Cerca de 60% das Unidades Básicas de Saúde (UBS) também oferecem o teste rápido.
O teste rápido exige apenas uma gota de sangue do paciente e fica pronto em cerca de 30 minutos. No ano passado, cerca de 3,7 milhões de testes rápidos anti-HIV foram disponibilizados no país. Em 2005, esse número era de 500 mil testes de HIV, o que representa mais de 300% de aumento na testagem. (Com informações do Portal Brasil)

VÍDEOS RECOMENDADOS