Em cápsula, pó ou nos alimentos, colágeno é responsável por atenuar os efeitos do envelhecimento

Até os 30 anos, são poucos os motivos para se preocupar com os níveis dessa proteína no organismo. Passada essa idade, porém, é hora de tomar providências

30/10/2013 15:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jair Amaral/EM/D.A Press
Para aumentar as chances de absorção pelo corpo, a versão mais indicada da proteína é a hidrolizada (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Aliado na busca pela juventude da pele, o colágeno virou sensação entre os suplementos consumidos diariamente. Em cápsula, pó ou adicionado aos alimentos – como barras de cereal –, a proteína é a mais desejada entre os interessados em esconder os efeitos da idade. Até os 30 anos, são poucos os motivos para se preocupar com os níveis dessa proteína no organismo. Passada essa idade, porém, é hora de tomar providências. Isso porque o corpo começa a perder, todos os anos, cerca de 1% de todo o seu colágeno e, ao chegar à casa dos 50, produz apenas 35% do volume necessário para suprir a demanda.

Mas não basta manipular as cápsulas ou misturar o pó na água para recuperar os anos perdidos. “Há outros componentes fundamentais que agem acelerando algumas reações metabólicas que estão envolvidas na produção do colágeno, entre eles as vitaminas C e E, flavonoides e minerais como o selênio e o zinco”, alerta a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) Carolina Marçon. Sozinho, ele terá menos chances de mostrar os resultados esperados. Por isso, deve ser associado a sucos e até a outros complementos alimentares ricos nesses componentes.

Para aumentar as chances de absorção pelo corpo, a versão mais indicada da proteína é a hidrolizada. “Os aminoácidos são a matéria-prima do colágeno. E é esse aminoácido que é consumido no produto hidrolizado. Dessa forma, ele proporcionará uma absorção mais eficiente”, observa Carolina.

PROTEÍNA NATURAL
Mesmo a forma mais biodisponível, a hidrolizada, não tem a mesma eficácia que o consumo da proteína natural. “Sou completamente a favor do colágeno como suplemento, desde que a dieta contemple essa proteína encontrada na alimentação, principalmente nas carnes magras, como ovo, peixe e outras carnes brancas. De qualidade, a vermelha também fornece a matéria-prima para produção de colágeno”, garante a fisioterapeuta dermatofuncional Ludmila Bonelli Cruz. É aliado também no tratamento de estrias e até em sequelas de acne.

Além de benefícios na aparência, o colágeno traz efeitos comprovados para articulações e ossos, que também dependem de sua presença para um bom funcionamento. Foi justamente de olho nisso que a gerente de uma agência dos Correios, Raissa Moreira Suretti, de 33 anos, resolveu recorrer ao suplemento. “Comecei a usar quando passei a participar de campeonatos na área de musculação. Como malho há 15 anos, o uso do colágeno para mim tem sido um grande aliado das articulações e ossos”, garante. Sem deixar de lado também os demais efeitos. “A pele fica mais jovem e rígida, o corpo apresenta mais tônus muscular, as unhas ficam mais fortes e os cabelos mais sedosos”, pontua Raissa.

Jair Amaral/EM/D.A Press
Só devem fazer a ingestão regular as pessoas que realmente têm deficiência da proteína (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
CUIDADOS
Tomar o colágeno sem orientação médica e sem qualquer indicação da quantidade diária ideal pode trazer riscos. “Gestantes, mulheres que estão amamentando ou pessoas que têm problemas renais não devem consumi-lo sem acompanhamento de um profissional”, alerta Carolina Marçon. Para Ludmila Bonelli, só devem fazer a ingestão regular as pessoas que realmente têm deficiência da proteína. “Em excesso, pode acarretar prisão de ventre e pode trazer sobrecarga do rim, onde é metabolizado. Há ainda a possibilidade de causar efeitos negativos na própria pele, como ressecamento”, orienta Ludmila.

A alimentação, juntamente com os hábitos rotineiros, vão definir a melhor hora de começar a incluir o colágeno, que pode ser mais cedo ou mais tarde, de acordo com cada perfil. “Se a pessoa é tabagista, não faz atividades físicas, é muito estressada, inclui muita gordura na alimentação, tudo isso influenciará na decisão”, explica a nutricionista do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Onodera Ione Queiroga. Antes dos 25 anos, porém, não é essencial. Para pessoas saudáveis, que são orientadas a fazer o consumo, o ideal é não exceder 10 gramas de colágeno por dia.

MUITO ALÉM DO COLÁGENO
Outros fatores responsáveis pelo envelhecimento da pele

  • Radiação solar
Entre outras consequências para o organismo, pode causar o foto envelhecimento. Peles com essa característica são mais espessas, por vezes amareladas, ásperas e manchadas.

  • Cigarro
O calor da chama e o contato da fumaça com a pele provocam o envelhecimento e a perda de elasticidade cutânea. Além disso, o fumo reduz o fluxo sanguíneo da pele, dificultando a oxigenação dos tecidos. A redução desse fluxo pode contribuir para o envelhecimento precoce da pele e para a formação de rugas, mais acentuadas ao redor da boca.

  • Álcool
Contribui para a formação de radicais livres, um dos responsáveis pelo envelhecimento. O vinho, em pequena quantidade, é uma exceção, já que contém flavonoides, que combatem os radicais livres por conta da ação antioxidante.

  • Radicais livres
Um dos principais responsáveis pelo envelhecimento da pele, principalmente por ser um dos causadores da degradação do colágeno. Além disso, auxilia no acúmulo de elastina, que é uma característica da pele fotoenvelhecida.

  • Alimentação
Sem os nutrientes adequados, pode acelerar a produção de radicais livres.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE SAÚDE PLENA