Cantor Belchior é homenageado com festa na capital mineira

Autor de clássicos da MPB, ele conquistou uma legião de fãs com sua poesia ácida, na contramão de modismos

por Francelle Marzano 03/06/2017 12:02
Internet/reprodução
Morto em abril, Belchior ganha tributo de músicos mineiros (foto: Internet/reprodução)

“Presentemente/ eu posso me considerar um sujeito de sorte/ porque apesar de muito moço/ me sinto são e salvo e forte”. Os versos de Alucinação, de Belchior, poderiam muito bem traduzir o sentimento do cantor e compositor, morto em 30 de abril, diante da festa que ele vai ganhar hoje em BH.

Em única apresentação no Teatro Bradesco, o tributo ao artista cearense vai reunir o bloco Volta Belchior e os músicos Chico Amaral, Pedro Morais, Flávio Renegado, Gustavo Maguá e Marina Machado.

Autor de clássicos da MPB, Belchior conquistou uma legião de fãs com sua poesia ácida, na contramão de modismos. O artista enfrentou problemas financeiros e se afastou dos holofotes. Amparado por amigos, morreu numa pequena cidade gaúcha.

Esse “exílio” inspirou a criação do Volta Belchior, bloco belo-horizontino que estreou na folia deste ano. A ideia, conta o vocalista Sylvio Rosa, era reverenciar a obra do compositor, mobilizar admiradores e fazer com que ele retomasse a carreira. A notícia de sua morte surpreendeu os carnavalescos mineiros, que decidiram homenageá-lo.

Em 1976, Belchior chamou a atenção com o disco Alucinação, que trazia os hits Velha roupa colorida, Como nossos pais e A palo seco. Todos eles estão no repertório do show desta noite, que incluirá, claro, Medo de avião, Apenas um rapaz latino-americano e Comentários a respeito de John. Esta última ficará a cargo de Gustavo Maguá e Flávio Renegado, que prometem uma mistura de ritmos. “Vai ser uma grande homenagem. Juntar todos esses artistas fortalece não só o bloco e o próprio cantor, como a música popular brasileira”, comenta Maguá.

Sylvio Rosa diz que a proposta do tributo é fazer releituras das canções – algumas em ritmo de carnaval e outras na versão original. Sylvio vai dividir o palco com Chico Amaral e Marina Machado em Paralelas, sucesso de 1977.

“São hits poderosos, que marcaram nossa infância. As letras nos tocam, tudo tem muita qualidade musical”, comenta a cantora Marina Machado. “Nossa expectativa é tocar a alma das pessoas, fazer com que elas sintam a emoção que a gente sente quando ouve Belchior”, conclui.

TRIBUTO A BELCHIOR
Com bloco Volta Belchior, Chico Amaral, Pedro Morais, Flávio Renegado, Gustavo Maguá e Marina Machado. Hoje, às 21h. Teatro Bradesco, Rua da Bahia, 2,244, Lourdes, (31) 3516-1360. Ingressos: R$ 30. Classificação: 16 anos.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA