Rihanna recebe prêmio em Harvard e faz discurso emocionante

Ela se consagra como a primeira cantora a receber o título de Humanitária do Ano pela tradicional universidade norte-americana

por Estado de Minas 01/03/2017 14:25
Twitter/Reprodução
Rihanna é agraciada com prêmio na Universidade de Harvard. (foto: Twitter/Reprodução)
Para além de dedicar seu tempo aos estúdios e palcos produzindo hits atrás de hits, Rihanna também aproveita para ajudar os necessitados. Na última terça-feira (28), esse lado não tão conhecido da cantora foi reconhecido pela tradicional universidade norte-americana de Harvard, que deu a ela o prêmio de Humanitária do Ano

Entre suas ações, Rihanna construiu um hospital para disgnosticar e tratar câncer de mama na cidade de Bridgetown, em Barbados, onde nasceu, além de seu trabalho na Fundação Clara e Lionel que fomenta a educação no Caribe e ajuda os estudantes locais a fazerem faculdade nos Estados Unidos. Ela também é uma apoiadora do Global Partnership for Education e do Global Citizen Project. 

Durante a cerimônia, a cantora realizou um discurso emocionante falando sobre sua trajetória e encorajando as pessoas a ajudarem aqueles que necessitam. ''Então eu cheguei em Harvard. Nunca achei que poderia dizer isso na minha vida, mas é bom'', começou ela, com bom humor, se gabando. ''Obrigada, Dr. Counter, obrigada Harvard Foundation e obrigada Universidade de Harvard por essa grande honra. Me sinto muito honrada por isso, por ser reconhecida nessa magnitude por algo que, na verdade, nunca quis receber crédito'', agradeceu. 

Rihanna falou sobre sua infância e revelou que, desde aquela época, se sentiu motivada a fazer boas ações. ''Quando eu tinha cinco ou seis anos, lembro de assistir TV e eu via outras crianças sofrendo pelo mundo e vocês sabem, os comerciais diziam: 'Você pode doar 25 centavos, salve a vida de uma criança'. E eu imaginava quantos desses 25 centavos eu poderia economizar para salvar todas as crianças da África. E eu dizia para mim mesma que, quando eu crescesse, quando eu fosse rica, eu salvaria crianças pelo mundo todo. Eu só não sabia que eu poderia fazer isso ainda adolescente'', afirmou. 

A cantora contou que, aos 17 anos, começou sua carreira nos Estados Unidos, e aos 18 abriu sua primeira organização de caridade. Ela conta que se associou a uma instituição de combate ao câncer de medula e, em 2012, perdeu sua avó para a doença, o que a motivou a Fundação Clara e Lionel (C.L.F.). 

''Olho para essa linda sala e vejo otimismo, vejo esperança, vejo futuro. Eu sei que cada um de vocês tem a oportunidade de ajudar alguém. Tudo o que vocês precisam fazer é ajudar uma pessoa sem esperar nada em troca. Para mim, isso é ser um ativista'', declarou. 

Rihanna, então, mandou um recado para si mesma. ''O que eu quero que aquela garotinha de seis anos assistindo a comerciais saiba é que você não precisa ser rica para ser uma ativista. Você não precisa ser famosa para ajudar alguém. Você nem precisa ter um diploma da faculdade!'', disse, levando a plateia às gargalhadas. 

Ela finalizou o discurso dizendo que, para ajudar ao próximo, não é preciso muito esforço. ''Você pode ajudar seu colega de escola, o menino que mora no seu quarteirão, você pode fazer o que puder para ajudá-los, de qualquer forma que você possa. E hoje, quero desafiá-los a se comprometerem a ajudar uma pessoa. Minha avó sempre dizia que se você tem um dólar, você tem muito a compartilhar''. 
 
Confira o discurso na íntegra:  
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA