Banda mineira de metalcore Carahter lança novo álbum

'Tvrvo' reflete maturidade dos músicos e critica o rompimento da barragem de Mariana

por Pedro Galvão 21/02/2017 10:17
Lucas Costa/Divulgação
Integrantes do grupo Carahter, que prepara show de lançamento do novo disco, produzido pelo baixista Rodrigo Grilo, do Jota Quest (foto: Lucas Costa/Divulgação)
Lá se vão 15 anos desde que a Carahter lançou o álbum de estreia que a colocou na prateleira das principais bandas do rock pesado de Belo Horizonte. O início promissor fez com que eles extrapolassem os limites da cena local, indo girar em turnê pela América do Sul e Europa, antes de interromper as atividades ainda em 2005, por causa de desentendimentos entre os integrantes. Uma década e meia e algumas tentativas frustradas de retorno depois, os problemas do passado foram finalmente deixados para trás e a banda volta a lançar um disco, mostrando que o tempo não tirou o peso nem do som nem das ideias deles.

Lançado na última semana pelo selo Burning London, Turvo, ou Tvrvo, como é esteticamente grafado, mantém as características que conquistaram os fãs na última década. Denominado metalcore, o estilo mistura o vocal gritado e os riffs de guitarra do metal com a bateria acelerada do hardcore. O resultado é um som extremo e incisivo, tanto nas melodias quanto nas letras, sempre cantadas em inglês e em sua maioria sobre questões políticas e sociais.

A faixa que dá nome ao disco fala sobre o rompimento das barragens da Samarco, que devastou povoados próximos a Mariana, além de deixar um rastro de destruição ao longo do Rio Doce, em 2015. “Montanhas sangrando aço, inundação e lama”, diz a tradução de um dos versos da letra, que fala ainda “profetas do progresso, a dor aguarda vocês”.

“Nós fizemos um show aqui em BH no dia da tragédia. A partir daquele momento, começamos a pensar nessa questão da mineiridade, de estar entre as montanhas como a Serra do Curral, que é bonitinha de um lado e toda destruída do outro. Aí chegamos nesse conceito turvo, pesado, denso, uma massa sonora que é um mar de minério”, conta o vocalista Renato Rios Neto, que comanda diariamente o programa policial Itatiaia patrulha, na Rádio Itatiaia, com uma voz bem menos gutural do que aquela apresentada nos palcos.

Além das inquietudes e indignações que davam o tom ao primeiro e até então único disco – O intenso desespero da decadência humana, o novo trabalho traz também o processo de amadurecimento vivido por eles durante esse hiato. “Há 15 anos, a gente tinha 18, 19 anos. Todo esse processo de envelhecer, estar no mercado de trabalho e precisar dessa válvula de escape que é a música foi servindo de inspiração, assim como o momento político do país, de muita polarização. Também tem uma letra sobre amigos que se foram, o leque de temas está bem mais amplo, porque os acontecimentos nas nossas vidas estão bem mais amplos”, explica Renato, que assina as composições em parceria com os outros membros.

Em 15 anos, as coisas mudaram não só para os cinco integrantes da banda. Se quando eles começaram as redes sociais que conhecemos hoje nem existiam e a internet ainda engatinhava nas conexões discadas, o mercado musical que o Carahter reencontrou em 2017 está bem mudado. Esse novo cenário e suas possibilidades intrigam a banda: “Nosso público é formado pela galera das antigas, que acompanhou nosso começo, mas tem muita gente nova, hoje temos novas plataformas de distribuição de som, como o Spotify, estamos na expectativa de como vai ser essa repercussão do disco”, afirma o vocalista.

Tecnicamente, a produção também se modernizou de um trabalho para o outro. Com nove faixas, o novo álbum foi gravado no estúdio Minério de Ferro, pertencente ao Jota Quest. O processo foi intermediado pelo baixista Rodrigo Grilo, que trabalha como engenheiro de som no local. “Nosso som é uma mistura da explosão, intensidade e raiva, mas tem o lado técnico também, tem muita melodia, ritmo, a gente trabalhou bem as composições do metal, mas não é só porrada o tempo todo, tem uma cadência também”, garante Renato.

Quem quiser conferir de perto o novo trabalho do Carahter terá uma oportunidade no próximo dia 11 de março. O show de lançamento do disco será no Espaço 104, às 21h, e contará com a abertura da banda Deaf Kids, do Rio de Janeiro.


TVRVO

• Gravadora: Burning London Records
• Preço: R$ 22,90
• Streaming: Spotify.

Festa de Lançamento do álbum Tvrvo
Shows das bandas Carahter e Deaf Kids (RJ). Sábado, 11 de março, no Espaço 104 (Praça Rui Barbosa, 104, Centro), às 21h. Ingressos: R$ 25 e R$ 35 (com o CD).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA