Titane e Túlio Mourão lançam disco Paixão e fé com show em Congonhas

Parceria entre cantora e compositor fala sobre lama, poeira e minério, alguns dos elementos que turvam os horizontes de Minas e do Brasil desde a tragédia de Mariana, em 2015

por Cecília Emiliana 18/01/2017 08:00

Eliane Gouvea/Divulgação
Eliane Gouvea/Divulgação (foto: Eliane Gouvea/Divulgação)
Intérpretes acurados de seu tempo, a cantora Titane e o compositor Túlio Mourão decidiram que é hora de falar sobre lama, poeira e minério, alguns dos elementos que turvam os horizontes de Minas e do Brasil desde o rompimento da barragem do Fundão, em Mariana, em 2015. Derramando, de quebra, um pouco de poesia sobre a discussão.


Assim nasceu Paixão e fé, álbum que a dupla lança esta noite em show gratuito em frente à Basílica de Bom Jesus do Matozinhos, no município de Congonhas. Em Belo Horizonte, a apresentação poderá ser conferida no dia 28, quando subirão ao palco do Teatro Bradesco.


Gravado na cidade mineira em 5 e 6 de novembro do ano passado – quando a tragédia de Mariana completou um ano –, o disco se debruça sobre a catástrofe ambiental com complexidade e delicadeza. “Os discursos gerados por ocasião do desastre, somados à turbulência política e econômica que o país enfrenta atualmente, muitas vezes são rasos e contaminados de interesses e paixões de todos os lados. A gente achou então que era oportuno trazer uma dimensão poética para essa conversa, incluindo nela ingredientes como sensibilidade, profundidade e sutileza, de maneira a deslocá-la dessa perspectiva antagônica do ‘8 ou 80’. Adicionando, inclusive, mais vozes nela – sobretudo a humana, que é a mais frágil nessa história toda”, explica Túlio Mourão.


Donos de extensa bagagem de vivências junto a comunidades mineiras com suas dores e cores, Titane e Túlio Mourão são, por eles mesmos, bons tradutores de muitas dessas vozes. Paixão e fé, contudo, foi realizado sob um apurado exercício de imersão e escuta. A gravação do trabalho se deu em uma das salas da Romaria de Congonhas, espaço cultural que os artistas adaptaram como estúdio. “A ideia foi, em primeiro lugar, sentir a tensão que vive o povo daquela região, pois Congonhas está situada atrás de uma barragem de rejeitos muito maior que a de Bento Rodrigues. Quisemos também absorver a cultura popular do local. Botamos várias canções populares no disco”, conta Mourão.


O álbum tem ainda todos os seus registros em voz e piano, como se Túlio e Titane se despissem das próprias paixões, para viver a dos outros. Entre os destaques do repertório, Anoitecer, poema musicado de Carlos Drummond de Andrade, Promessas do sol, de Milton Nascimento, e 4 e 15 ou 15/3, de Chico César.

 

Paixão e fé

Show de lançamento do álbum de Titane e Túlio Mourão

Quarta-feira, 18 de janeiro, 20h, em frente à Basílica de Bom Jesus

Entrada franca 



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA