Obras caseiras e popularidade talharam o êxito de banda dinamarquesa

Banda Lukas Graham é a grande revelação europeia, depois de estourar nas paradas com o hit 7 years

por Correio Braziliense 09/01/2017 07:33

 
Lukas Graham foi sem dúvida uma das grandes revelações do mundo pop em 2016. A banda dinamarquesa, formada por Magnus Larsson (baixista), Morten Ristorp (tecladista), Mark Falgren (baterista) e Lukas Graham Forchahmmer, vocalista que deu seu nome ao grupo, enfrentou gigantes da cena pop e chegou ao topo das paradas de todo o mundo com o hit 7 years — a versão oficial da canção teve 461 milhões de visualizações no YouTube.

Antes do primeiro sucesso mundial, a banda já tinha começado a ganhar notoriedade no país de origem com músicas gravadas em casa e disponibilizadas gratuitamente nas redes sociais.

Lukas descreve 7 years como uma canção sobre sua vida até agora e o que ele espera alcançar no futuro. “É uma canção sobre o envelhecimento. Eu também estou chegando a uma percepção de que ser pai é a coisa mais importante. Meu maior sonho não é ser um cara velho negativo. Quero ouvir  os amigos dos meus filhos dizerem: ‘Você vai visitar seu pai, saiba que ele é incrível’”, destacou à imprensa internacional.

Já como contratada da gravadora Copenhagen Records, veio a primeira música de trabalho, Ordinary things. As faixas Drunk in the mourning e Mama said — relançadas no novo disco homônimo, liberado em abril de 2016 — vieram depois, fazendo Lukas Graham estourar pela Europa.

Anarquistas

7 years foi só uma prévia do álbum homônimo do ano passado, que estreou na primeira posição na Austrália e Canadá, em segundo no Reino Unido e Nova Zelândia, terceiro nos Estados Unidos (Billboard 200) e em quinto na Irlanda.

Com letras marcantes que dão emoção às músicas pop-soul, o disco traz histórias de vida do vocalista, que cresceu em Chistiania, uma comunidade com valores anarquistas e que não reconhece o governo de Copenhague, capital da Dinamarca.

O lugar é tomado pela pobreza, criminalidade e tráfico de drogas, mas é marcado também pelo espírito comunitário entre os habitantes. O cantor visitou o Brasil quando tinha 12 anos e comparou as favelas do país com sua comunidade.

461 Milhões
número de visualizações de 7 years no YouTube 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA