2º Blues no Morro celebra o gênero musical criado por negros nos EUA

Festival acontece nesta sexta-feira, 16, na sede da Escola de Samba Cidade Jardim

por 16/12/2016 09:23

Gabriel Henrique/Divulgação
Banda Regali irá tocar clássicos de Jimi Hendrix e Stevie Wonder. (foto: Gabriel Henrique/Divulgação)

Sucessos do blues serão atrações do festival dedicado a esse gênero musical, hoje à noite, na sede da Escola de Samba Cidade Jardim. Quem abre a programação é a banda Regali Blues Band, trio formado por Lucas Sá e os irmãos Rafael e Babys Regali. O show contará com convidados ilustres: integrantes da bateria da Cidade Jardim. Eles vão tocar percussão em clássicos de Jimi Hendrix e Stevie Wonder.

''O blues é incopiável'', afirma Rafael Regali, referindo-se à improvisação, marca registrada do gênero. Para ele, a bateria de escola de samba traz um elemento incomum, pois remete ao início da história do blues. Nos séculos 18 e 19, negros eram proibidos de tocar percussão nos Estados Unidos.

A Regali Blues Band vai apresentarclássicos de Ray Charles, Albert King e, em momento que Rafael descreve como ''mais sombrio'', da Screamin Jay Hawkins, uma das inspirações do Black Sabbath.

 

Rafael se orgulha do trabalho que desempenha. ''As pessoas conhecem o Albert King por mim, e o William Bell pelo Albert. Blues é um estilo pedagógico'', afirma. Para ele, o estilo ensina um pouco da história da música de matriz africana da América do Norte.

Durante o festival, Bob Dylan será lembrado no show da banda de folk e country Captain Farrel, que também toca canções de Johnny Cash, Willie Nelson e Neil Young. Clássicos de Eric Clapton e Louis Armstrong ficarão por conta do grupo Bulldose.

OFICINA


Além de música, o festival oferece cerveja artesanal, vinhos e massas na seção gastronômica. Estão programados oficina de grafite e bate-papo com o tatuador Léu Dennan. A dança também marca presença. O coletivo Manifesto 1, quarteto que combina vários estilos, da valsa ao foxtrote, vai se apresentar. A bailarina Luiza Alvarenga explica que a blues dance é cheia de improvisações, assim como o gênero musical.

O festival é coordenado pelos próprios artistas, que se organizam nas produtoras Era Vinil e Vitrola Viva. Para Rafael Regali, a cena do blues ainda se fortalece em BH. Por isso, é importante o músico exercitar sua veia empreendedora. Blues do Morro é uma das alternativas para divulgar talentos da capital mineira, ''que tem pouco céu para muita estrela'', afirma Regali.

2º BLUES NO MORRO

Hoje, a partir das 19h. Grêmio Recreativo Escola de Samba Cidade Jardim. Rua do Mercado, 150, Conjunto Santa Maria, Cidade Jardim, (31) 98478-6645 e 99775-0127. Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA