Atração do Festival Sarará, MC Carol resiste ao machismo

Com álbum recém lançado, ela adverte: ''Devido ao machismo, ainda tem muita gente achando nosso destino é ser do lar, esposa, fazer comida para o marido, aceitar tudo calada''

por Redação EM Cultura 18/11/2016 09:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Marcella Zamith/Divulgação
MC Carol é uma das atrações do Festival Sarará, que acontece neste sábado, 19, em BH. (foto: Marcella Zamith/Divulgação)

Aumentou o combate ao preconceito e à intolerância? ''Em relação ao tempo da minha bisavó, sim. Mas ainda há muita coisa que pode ficar melhor'', responde, com ironia, MC Carol, de 23 anos. ''Ninguém tem o direito de agredir ninguém. Cada vez mais, temos de respeitar o próximo'', afirma.

Conhecida por defender os direitos das mulheres em suas letras, Carol adverte: ''Devido ao machismo, ainda tem muita gente achando que somos incapazes, que o nosso destino é ser do lar, esposa, fazer comida para o marido, aceitar tudo calada''. E critica: ''Quando a mulher é agredida e dá queixa na polícia, duvidam da palavra dela''.

 

Carol acaba de lançar seu primeiro disco, Bandida, com as faixas 100% feminista (que superou 1 milhão de visualizações no YouTube), Jorginho me empresta 12 e Meu namorado é um otário.

'''Procuro contar histórias reais, que são dramáticas e engraçadas ao mesmo tempo. A maioria delas aconteceu comigo ou com amigos'', explica. Quando era criança, MC Carol pretendia cursar direito, queria ser juíza. Adolescente, escrevia textos que acabou apresentando em bailes funk.

Para ela, o sucesso vem do fato de muita gente se identificar com o que diz. Embora isso a deixe feliz, Carol observa: está aí um claro sinal de que muita gente viveu dramas parecidos com os seus.

 


ATRAÇÕES

» Criolo
» Ney Matogrosso
» Tulipa Ruiz
» Liniker e Os Caramelows
» MC Carol
» Marechal
» Gabriel O Pensador
» DJ Deivid
» Gaymada
» Havayanas Usadas

FESTIVAL SARARÁ
Amanhã, a partir das 19h. Parque Municipal Américo Renné Giannetti, Avenida Afonso Pena, 1.377, Centro. Ingressos/3º lote: R$ 140 (inteira) e
R$ 70 (meia-entrada), com doação de 1kg de alimento não perecível. Informações: www.sympla.com.br. Recomenda-se verificar previamente a disponibilidade de entradas.

O mais assustador é aintolerância sutil, encoberta, que vem mais do olhar que do xingamento - Cris Gil, integrante do Havayanas Usadas

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA