Música na praça: Festival de Choro e Samba começa nesta sexta-feira, 7

Evento leva o melhor do samba e do chorinho a praças da capital mineira

por Redação EM Cultura 07/10/2016 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Felipe Temponi/Divulgação
Festival de Samba e Choro ocupa as praças de BH. (foto: Felipe Temponi/Divulgação)

 

O Festival de Choro e Samba de Belo Horizonte chega à sexta edição, oferecendo várias atrações ao público. Com entrada franca e apoio cultural do Estado de Minas, o evento promoverá shows nas praças Afonso Arinos, no Centro, e Duque de Caxias, em Santa Tereza. O objetivo é valorizar a brasilidade – afinal de contas, choro e samba são genuínas expressões culturais do país.


Nesta sexta-feira, 7, a programação começa às 17h, com o grupo Mestre Samba. Às 18h30, sobem ao palco integrantes do Clube do Choro de Belo Horizonte. A escolha da Praça Afonso Arinos tem um motivo especial: homenagear os compositores Romulo Paes, Gervásio Horta, Lagoinha e Geraldinho Alvarenga – habituês das rodas boêmias e musicais da Rua da Bahia.

 

Mestre Samba é formado por profissionais liberais e instrumentistas de BH. Bruno Daconti (cavaquinho e voz), Maurício Soares (violão e voz), Cássio Jabour (percussão e voz), Marco Antônio Botelho (chocalho e voz), Daniel Pacheco (violão e voz), Eder Jairo (percussão) e Wellington Andrade (percussão) se dedicam a repertório voltado para composições de Donga, Pixinguinha, Cartola, Noel Rosa, Paulo César Pinheiro, João Bosco, Chico Buarque, Zeca Pagodinho e João Nogueira, entre outros.

Nascido nas rodas choronas de quinta-feira no Bairro Padre Eustáquio, o Clube do Choro de Belo Horizonte se reúne desde 1993 e conta com instrumentistas amadores e profissionais. O grupo costuma acompanhar nomes de ponta da música instrumental, como Hamilton de Holanda, Yamandu Costa, Zé da Velha e Henrique Cazes.

Terça-feira, apresentam-se o grupo BH Choro, o trompetista fluminense Silvério Pontes (que lança seu primeiro disco solo, Reencontro) e Ronaldo do Bandolim, craque das cordas que 'bate ponto' no Conjunto Época de Ouro e no Trio Madeira Brasil.

Também subirão ao palco, na Praça Duque de Caxias, Silvio Carlos (violão de sete cordas), Marcos Flávio (trombone), Dudu Braga (cavaquinho) e Ramon Braga (pandeiro). A seguir, será a vez de Fabinho do Terreiro, cavaquinista e compositor 'cevado' nos terreiros de BH. Suas canções estão em discos de Zeca Pagodinho (Desacerto, parceria com Toninho Gerais e Randley Carioca) e Agepê (Sentimento verdadeiro), além de Leci Brandão, Almir Guineto e Katinguelê.

No feriado de quarta-feira, a 'função' começa às 17h, em Santa Tereza, com Pirulito da Vila, destaque da nova geração do samba mineiro. O festival será encerrado com show do Época de Ouro, grupo fundado por Jacob do Bandolim, ícone do chorinho e autor do clássico Noites cariocas. Entre seus integrantes estavam dois bambas: César Faria, pai de Paulinho da Viola, e Dino 7 Cordas.

Atualmente, o grupo reúne Ronaldo do Bandolim (bandolim), Jorge Filho (cavaquinho), Tony Azeredo (violão de sete cordas), André Bellieny (violão de seis cordas), Antonio Rocha (flauta) e Celsinho Silva (pandeiro).

PROGRAMAÇÃO

SEXTA-FEIRA (07/10)
17h – Mestre Samba
18h30 – Clube do Choro de Belo Horizonte
>> Praça Afonso Arinos, Centro. Entrada franca

TERÇA-FEIRA (11/10)

19h – BH Choro, Silvério Pontes e Ronaldo do Bandolim
20h30 – Fabinho do Terreiro
>> Praça Duque de Caxias, Santa Tereza. Entrada franca

QUARTA-FEIRA (12/10)
17h - Pirulito da Vila
18h30 – Época de Ouro
>> Praça Duque de Caxias, Santa Tereza. Entrada franca

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA