Trio Niemeier reúne Henrique Portugal e Lelo Zanetti, do Skank, e o DJ mineiro Anderson Noise

Com nove faixas já produzidas, disco está nos planos e aberto a parcerias

por Mariana Peixoto 03/07/2016 11:37

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paulinha Vilarino/Divulgação
Hoje à noite, Lelo Zanetti, Anderson Noise e Henrique Portugal estreiam no Savassi Festival (foto: Paulinha Vilarino/Divulgação )
Vinte e cinco anos atrás, quando iniciavam carreira em Belo Horizonte, o DJ Anderson Noise e a banda Skank viviam em mundos absolutamente opostos. O primeiro foi um dos protagonistas da então nascente cena eletrônica da cidade. O grupo era o pioneiro na produção da música pop de BH, que nos anos 1990 ainda vivia sob os ecos do Clube da Esquina.
A produção de ambos não tinha, naquele período, pontos de interseção. Mas o tempo passou, a música mudou e também os horizontes de Noise e do Skank, que conseguiram reconhecimento nacional e internacional. Hoje, o DJ e produtor e a metade do Skank estreiam juntos, no palco.


Niemeier (sim, a grafia é diferente do sobrenome do arquiteto) reúne Anderson Noise, Henrique Portugal e Lelo Zanetti – tecladista e baixista do Skank, respectivamente. O trio vem a público pela primeira vez nesta noite, no Savassi Festival, para mostrar vertentes queeles nunca haviam explorado. É música instrumental pautada no jazz, na bossa e, claro, na eletrônica.
O projeto, o crédito merece ser dado, nasceu justamente por causa do festival. Morador da Savassi desde que voltou a viver em BH, há três anos, Noise mantém um estúdio em casa. Lelo, logo no início deste ano, começou a dar umas passadas por ali para mostrar o que estava fazendo. Certo dia, Noise, que participou das três últimas edições do festival, encontrou-se com o organizador, Bruno Golgher.


“Ele me perguntou o que estava fazendo, e contei que tinha começado a fazer música com o Lelo”, diz Noise. “Você acha que consegue fazer alguma coisa com a cara do festival?”, retrucou Golgher. Como não? Amigo de Portugal há muitos anos, o DJ o convidou para o projeto. Desde março, os dois músicos vão, pelo menos uma vez por semana, trabalhar com Noise em seu estúdio. Mas sempre separadamente. Apenas na última semana o trio se juntou para ensaiar.


“Henrique sugeriu o nosso processo de produção. Funcionou muito bem”, conta Anderson Noise. O primeiro passo foi construir as baterias. Num segundo momento, Portugal chegou para gravar os teclados. E só depois Lelo gravou os baixos. “Todas as faixas têm uma pegada de jazz, mas misturei as técnicas. A bateria, que no jazz é meio fora do tempo, aqui está mais organizada. Tem músicas que dão até para dançar.”


Foram produzidas oito faixas – nenhuma tem nome, só números de 1 a 8. Empolgado, Noise ainda resolveu fazer a nona, que estava lhe tirando o sono no decorrer da semana passada. Na apresentação deste domingo, o Niemeier vai contar com projeções do VJ 1mpar (que trabalha com o Skank). As imagens foram criadas especialmente para o projeto.
O show de hoje é apenas o começo. A intenção dos três é gravar um disco, quem sabe chamar alguns letristas. De certa forma estreante depois de tantos anos de carreira, Noise quer que essa história vingue. “Estamos fazendo um projeto bem ‘profissa’ para termos um show pronto. Estamos preparando o caminho inclusive para participações”, finaliza.

 

NIEMEIER – SAVASSI FESTIVAL
Hoje, às 20h30. Palco Jazzy, em frente ao Café com Letras (Rua Antônio de Albuquerque, 781, Savassi). Ingressos devem ser retirados antecipadamente nas unidades do Café com Letras (Savassi e CCBB). Deve-se levar também 1kg de alimento não perecível.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA