Flávio Venturini se apresenta com orquestra de câmara no Sesc Palladium

Cantor e compositor apresentará sucessos do 14 Bis e outros hits nesta sexta-feira

por Ana Clara Brant 27/05/2016 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcelo Mendonça/divulgação
(foto: Marcelo Mendonça/divulgação )
A Orquestra de Câmara Opus de Belo Horizonte inicia hoje, no Sesc Palladium, as comemorações de seus 10 anos. Flávio Venturini é o convidado especial da festa. Pela terceira vez, o cantor e compositor se apresenta com o grupo. Porém, o repertório terá novidades: 'Fênix', 'Romance' e 'Uma velha canção rock’n roll', sucessos do 14 Bis, e 'Sol de primavera', hit de Beto Guedes.

Céu de Santo Amaro, que Venturini compôs inspirado no Arioso, de Bach, contará com a participação do tenor argentino Martin Fernandez, que vai cantá-la em italiano. ''Não é de hoje que toco com orquestras, até porque gosto muito de música instrumental. Desde meu primeiro disco, Criaturas da noite, ainda n’O Terço, gravava composições instrumentais, como a suíte 1974. No 14 Bis, continuei com essa proposta, assim como na carreira solo'', destaca.

O guitarrista Cláudio Venturini, irmão de Flávio, e os 22 músicos da Opus serão regidos pelo maestro Leonardo Cunha, fundador da orquestra. O repertório terá outros sucessos do convidado, entre eles Besame, Clube da esquina 2, Espanhola, Nascente, Noites com sol, Planeta sonho e Princesa. “Essas músicas dialogam com o erudito ou ganharam roupagem mais clássica. Outra novidade é que vamos executar uma obra instrumental do Flávio, Fantasia barroca”, revela Cunha.

Fundada em outubro de 2006 com o propósito de popularizar a música erudita, a Opus busca aproximar a música popular de arranjos clássicos. Astros e estrelas da MPB já foram convidadas para projetos do grupo, entre eles, Daniela Mercury, Ana Carolina, Fafá de Belém, Nando Reis e Milton Nascimento.

''Sempre percebi que muita gente gostava de concerto, mas não ficava muito à vontade ali. Daí a ideia de a gente se aproximar dessas pessoas. O foco é a música erudita, fazemos questão de explicar as peças, os principais autores. Focamos bastante no repertório brasileiro, seja ele clássico ou popular'', explica o maestro.

Flávio Venturini aplaude a iniciativa da Opus. O rock progressivo, lembra, é fruto do namoro entre o erudito e o popular. Bandas costumavam se apresentar com orquestras e gravaram discos de ópera-rock, com grande sucesso. “Isso é muito válido e interessante. O resultado sempre agrada à plateia”, conclui.

OPUS E FLÁVIO VENTURINI
Hoje, às 20h30. Sesc Palladium. Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro, (31) 3214-5350. Plateia 1: R$ 90 (inteira) e R$ 45 (meia). Plateia 2: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Plateia 3: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia). Venda on-line: www.ingresso.com.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA