Pereira da Viola lança primeiro DVD da carreira com show em BH

Sesc Palladium recebe festa da publicação de 'Incelente maravia', filme de Israel do Vale

por Walter Sebastião 05/03/2016 06:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
O violeiro, cantor e compositor Pereira da Viola, como ele mesmo conta, tinha resistência a fazer DVDs. “Achava que, ao juntar imagens as composições, ele não cumpria o verdadeiro papel da música, que é também o direito de cada um construir suas próprias imagens a partir do que ouve”, justifica. Mas, viajando, como via a todo momento gente procurando um DVD dele, acabou cedendo. Neste sábado, às 21h, no Grande Teatro do Sesc Paladium, ele lança Incelente maravia, seu primeiro DVD. O filme, dirigido por Israel do Vale, celebra os 20 anos de atividade do artista, parceiros e amigos.


O DVD, conta Pereira da Viola, traz desde música do primeiro disco, Menina flor (do disco Terra boa, de 1993), até o ambiente dos trabalhos mais recentes. E também Isto é bom, um lundu de Xisto Bahia datado de 1902 e primeira música gravada no Brasil, e um fado caipira. O músico explica que a diversidade de gêneros vem do fato de seu trabalho ser movido pela relação da cultura popular com a MPB, o samba, o blues etc. “Minha música, desde que comecei, traz a memória e os sentimentos de batuques, da música dos índios, da roça. Mistura de culturas reinventada do meu jeito, no toque da viola”, observa.

Marco Aurélio Prates/divulgação
Aos 53 anos, Pereira da Viola comemora duas décadas dedicadas à música (foto: Marco Aurélio Prates/divulgação)
“Sou fiel às manifestações da cultura popular pela sabedoria que ela traz, vindas da missão de preservar determinados conceitos e filosofias sobre o ser humano e a natureza”, conta Pereira da Viola.

 

Exemplificando, o instrumentista destaca as considerações sobre a natureza, o modo de trançar passado, presente e futuro, as questões do afeto. “E de forma direta, trazendo reflexões sobre o belo e a vida”, afirma.

 

Um motivo recorrente em sua obra é o interesse pelo “amor singelo”, que aparece em suas músicas “com uma pitada de açúcar ou de sal”. E o gosto por fazer com que o canto e o som do instrumento andem juntos. “A tal ponto que já ouvi gente dizendo que não sabe o que é o Pereira e o que é a viola”, brinca.

Pereira da Viola tem 53 anos. Nasceu em São Julião, distrito do município de Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. Filho do sanfoneiro João Preto e da cantadeira de folia de reis Mãe Augusta, mudou-se para o Espírito Santo para estudar, mas retornou a Minas Gerais, onde se formou como professor. O sonho, desde criança, era ser artista, “ainda que nem soubesse o que ia cantar”. Foi durante o lançamento de um jornal, do movimento cultural do Vale do Mucuri, que viu “Seu Braúlio” tocando viola junto a grupo de folia de reis. “Foi amor à primeira vista. Comprei uma, fiquei mexendo e, quando percebi, estava tocando Tristeza do jeca. E não parei mais”, recorda, contando que tom da voz dele e o som da viola combinam.

“Quando era criança, tinha medo de gente. Se via alguém vindo pela estrada, me escondia atrás da moita. A viola é para mim a moita onde me escondo. É a porta-voz de todos os meus sentimentos, perspectivas e relacionamentos”, garante Pereira da Viola. Desde 1992, vive e trabalha em Belo Horizonte. “Gosto porque é cidade que dá para encontrar os amigos, fazer prosa e ficar tocando viola, o que não é possível em São Paulo”, conta. “E tem coisas de que não gosto. As mesmas que existem em todas as cidades grandes: degradação ambiental, violência, poluição, inclusive sonora, e correria em excesso. São coisas que prejudicam a nossa existência”, lamenta.

PEREIRA DA VIOLA
Show de lançamento do DVD Incelente maravia, com participação especial de Titane, Wilson Dias, Josino Medina e Bartira Sene. Sábado, 5 de março, às 21h, no Grande Teatro do Sesc Paladium, Rua Rio de Janeiro, 1.046, Centro, (31) 3270-8100. R$ 30 (inteira).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA