Por mais diversidade nas premiações

Assim como no Oscar, público utiliza a internet para protestar e pedir maior representatividade de artistas negros no Brit Awards

por Isabella Andrade 23/02/2016 17:41

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Robyn Beck/AFP
Kendrick Lamar recebeu o prêmio de melhor álbum de rap por 'To Pimp A Butterfly', durante o Grammy awards 2016 (foto: Robyn Beck/AFP)
Os indicados ao Brit Awards 2016, que acontece no dia 24 de fevereiro e é o prêmio responsável por consagrar os melhores nomes da música inglesa, foram anunciados no dia 14 de janeiro, mesmo dia em que foram divulgados os indicados ao Oscar, que consagra os grandes nomes da indústria cinematográfica. Em comum, as duas premiações têm o fato de terem trazido à tona as polêmicas a respeito de diversidade e falta de representatividade negra entre os nomes levados para grandes eventos artísticos.
 
Após a divulgação das listas que mostravam uma maioria de artistas brancos e até mesmo total ausência de representantes negros, no caso do Oscar, a internet se tornou palco para expressar a indignação de grande parte do público que acompanha as premiações, além de artistas já consagrados. As hashtags #oscarsowhite e #britshowhite trataram de disseminar a insatisfação em relação aos prêmios e apesar da diversidade de opiniões entre o público, o debate foi levantado. 

Para ser elegível na premiação o artista ou produtor precisa ter atingido o top 40 em qualquer parada musical de single ou álbum entre 21 de julho de 2014 e 10 de dezembro de 2015. De acordo com um porta-voz do prêmio, em entrevista ao site Buzzfeed, as indicações são votadas por uma academia composta por 1113 pessoas, sendo que o Brit awards em si não pode influenciar os resultados. No entanto, neste ano o período de elegibilidade foi adiado para dezembro, permitindo que Adele, tendo lançado seu álbum semanas depois do encerramento tradicional, pudesse ser nomeada quatro vezes, sendo uma das artistas mais nomeada para a premiação de 2016.
 
O público questionou a ausência de representantes da música negra entre os artistas indicados, lembrando a ausência de Stormzy. O rapper já ganhou prêmios de melhor artista no MOBO (Music of black origin awards), prêmio que acontece no Reino Unido e reconhece representantes da música negra de qualquer nacionalidade e Prêmio BET, que premia artistas afro-americanos da música, atuação, esportes e outras áreas de entretenimento.
 
Timothy A.Clary/Divulgação
Cantora Rihanna vai se apresentar na entrega de prêmios amanhã (foto: Timothy A.Clary/Divulgação)
Stormzy declarou na internet que a falta de diversidade na lista de indicados ao Brit é embaraçosa, destacando que pesar do sucesso comercial do gênero musical no Reino Unido durante o ano passado, nenhum dos músicos britânicos negros deste estilo foram reconhecidos pela premiação. Vale lembrar que os rappers britânicos Krept e Konan, que foram nomeados quatro vezes em Mobos de 2015, tendo ganhado nas categorias de melhor artista de hip-hop e melhor álbum, também não apareceram na lista do grande prêmio da música britânica.
 
O editor-executivo do canal comunitário London360, Jasmine Dotiwala, acredita que o problema possa estar nos integrantes que votam pela academia britânica, destacando que esses eleitores estariam totalmente desligados com a cena da black music britância. “Como é possível que nomes como Skepta e Stormzy, dominando notícias digitais internacionalmente, não sejam reconhecidos por sua própria indústria nacional?”, declarou o diretor.

Em resposta às polêmicas na internet um porta-voz da premiação garantiu que “os membros da votação são atualizados a cada ano e representam um corte transversal de especialista com profundo  conhecimento de toda a indústria da música”. A opinião do público na internet ainda se divide e enquanto alguns compartilham a hashtag #britshowhite, outros acreditam que o Brit não reflete a falta de diversidade, como aconteceu no Oscar, já que apesar de não representarem a maioria, há artistas que não são brancos entre a lista de indicados, como Naughty Boys e Kendrick Lamar, que foi líder de indicações no Grammy awards de 2016, tendo sido citado em 11 categorias.
 
Ainda que as opiniões sejam diversas, o que se pode afirmar é que o debate a respeito da diversidade toma conta da temporada de grandes premiações, apontando que o público, além da própria classe artística, já não tolera a falta de representatividade, seja ela em cor, gênero ou estilo, dentro da indústria cultural. 
 

A lista de apresentações na noite de amanhã (24/02) conta com Justin Bieber, Coldplay, The Weeknd, Adele e Rihanna, que entrou para o grupo de artistas e vai promover seu novo álbum.
 
Confira!
Veja um clipe do rapper Kendrick Lamar, indicado na categoria Artista solo masculino internacional e também Runnin - losing it all, resultado da parceria entre Naughty Boys e Beyonce, que concorre ao prêmio de melhor vídeo.
 
 
 


VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA