Adele proíbe Donald Trump de usar sua música na campanha eleitoral dos EUA

Pré-candidato republicano vinha usando o hit "Rolling In The Deep", da cantora britânica

por AFP 02/02/2016 08:59

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
AFP PHOTO/LEON NEAL
(foto: AFP PHOTO/LEON NEAL)
A estrela do pop britânica Adele proibiu, nessa segunda-feira, que o pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump use uma de suas canções em sua campanha eleitoral. O magnata, que não perdeu o show da artista em novembro do ano passado em Nova York, utiliza com frequência o hit "Rolling In The Deep", grande vencedor dos Grammy de 2011. "Adele não deu permissão para que sua música seja usada em qualquer campanha eleitoral", declarou seu representante em um comunicado, sem mencionar Trump diretamente. Não é a primeira vez que Trump é desautorizado, ou repreendido, por artistas por usar canções famosas em seus comícios. Neil Young e R.E.M se enfureceram quando souberam que seus sucessos "Rockin' In The Free World" e "It's the End of the World as We Know It (And I Feel Fine)" tocavam nos eventos da campanha eleitoral de Trump. Mas nem tudo são proibições para o empresário multimilionário, que lidera a corrida pela indicação republicana nas primárias. A rapper nova-iorquina Azealia Banks anunciou em sua conta do Twitter que votará nele.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA