Bloco Chama o Síndico lança campanha de financiamento coletivo para Carnaval 2016

Um dos mais tradicionais blocos de BH, que conta com Jorge Ben e Tim Mais como inspirações, quer ajuda dos foliões para deixar a diversão ainda maior

13/01/2016 16:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcos Vieira/EM/D.A Press
Bloco é um dos mais tradicionais de BH (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
São quatro anos de estrada na folia de BH e um público gigante, que fizeram do Chama o Síndico um dos maiores blocos de rua no Carnaval de Belo Horizonte. O que nasceu com uma bicileta equipada com caixas de som, batuques, sopros e cordas, agora procura a ajuda dos foliões para deixar a diversão no Carnaval deste ano ainda maior.

Na última segunda-feira, 11, o bloco lançou uma campanha de financiamento coletivo com o intuito de contribuir para a festa que começa no dia 6 de fevereiro. "Precisamos de equipamentos, equipe técnica, equipe de produção, motoristas... Fora que ao longo do dia intenso de trabalho essa turma também tem que se alimentar, né? Outra... Imagina tocar nesse país tropical por horas seguidas sem beber água?", revela o grupo na descrição da campanha, lançada no site Catarse.

As doações variam entre R$ 20 e R$ 2 mil. Além de contribuírem para a folia, os doadores terão direito a recompensas, a partir do valor investido. Entre elas, adesivos, camisas, convites para bailes, além de oficinas e serenatas.

"O que dá pra dizer é que essa tal felicidade, mais conhecida como carnaval de rua de Belo Horizonte, é um festa linda que cresceu muito rápido e que os blocos todos tiveram que se adaptar aos novos desafios que se colocavam diante desse crescimento do movimento de ocupação lúdica da cidade", revela o grupo.

Para o carnaval deste ano, a intenção do Chama o Síndico é chegar com um "som arrasa-quarteirão" com um gaminhão de groove. A estrutura compreende 10 mil waats de potência, sistema de microfonação sem fio para os metais, além de bons amplificadores para as cordas e microfones, para "harmonizar perfeitamente com a bateria pop-ecumênica".

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA