Músicos que gravam canções de Natal explicam o fascínio pela data

Iniciativas independentes e projetos de gravadoras buscam abrir caminho para músicas com temas natalinos no Brasil, seguindo antiga prática entre europeus e americanos

por Ana Clara Brant 25/12/2015 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Foi com trilhas sonoras para novelas e minisséries como A casa das sete mulheres, Pantanal, O clone e Xica da Silva, que Marcus Viana se tornou conhecido. Mas foi com um disco de canções natalinas que o compositor e violinista iniciou sua carreira. Em 1988, Viana lançava em LP Fantasia de Natal, com um repertório todo instrumental de composições alusivas à data. O trabalho chegou a ser relançado e remasterizado.

 

Algum tempo depois, veio um disco que em sua definição era uma verdadeira “árvore de Natal em forma de sons”. Utilizando delicados sons de caixinha de música, chegava ao mercado o delicado Natal do bebê. O terceiro e último projeto, As mais belas canções de Natal, lançado em 1996, foi fruto de sete anos de pesquisas, apresentando 30 canções de vários países e épocas formando uma das maiores coletâneas natalinas já editadas.

Guilherme Cunha/divulgação
''Sou tão alucinado com música de Natal que em novembro já começo a escutar'', confessa o compositor e violinista Marcus Viana, que já lançou três álbuns dedicados às festas (foto: Guilherme Cunha/divulgação)
“Sou tão alucinado com música de Natal que em novembro já começo a escutar. Todos esses meus discos são muito importantes na minha vida e sempre fiz questão de desenvolver um trabalho especial com eles, com arranjos exclusivos e ótimos músicos, assim como os demais projetos da minha discografia”, comenta Viana.

 


O compositor, que disponibilizou algumas das canções no Youtube e está relançando As mais belas canções de Natal, diz que os artistas brasileiros não têm tanta tradição em gravar esse repertório porque, aqui, o Natal tem outras raízes e outra cultura. “E isso não acontece em países anglo-saxônicos como os Estados Unidos e a Inglaterra. Explicar música de Natal no Brasil é igual explicar Halloween. Mas sempre fiz questão de fazer, até porque músico não pensa se o trabalho vai valer ou não à pena. Ele simplesmente faz porque gosta”, salienta.


Para tentar atrair o público, já que é uma iniciativa bem específica, algumas gravadoras têm convidado artistas populares para interpretar clássicos como Noite feliz ou Boas festas. A Som Livre é uma delas e, em 2015, está lançando Presente de Natal. O álbum, na verdade é o resultado de um especial exibido na noite desta quinta-feira, 24, na TV Globo. “Um projeto de canções natalinas é lúdico, alegre e para assistir sorrindo com a família. E esse traz um show inédito com grandes nomes da música, com canções que refletem o espírito natalino e foi pensado para trazer inovações na música e nas parcerias”, resume o diretor do programa, Raoni Carneiro.

Inova/Divulgação
Thiaguinho e Péricles dividem projeto 'Então é Natal', com participação de Chitãozinho e Xororó (foto: Inova/Divulgação)
Além de celebrar o nascimento de Jesus, o álbum traz representantes dos mais diversos gêneros musicais. Wesley Safadão em parceria com Tiago Abravanel canta Sino de Belém. Victor & Leo e a banda Malta se uniram em Então é Natal, enquanto que Suricato e Claudia Leitte estão juntos em Natal branco. Já o mineiro Alexandre Pires interpreta Jingle bell rock e Luan Santana emprestou sua voz para uma nova versão da tradicional Noite feliz. “Acho bacana esse tipo de iniciativa, ao lado de grandes nomes da nossa música, até porque é uma forma de homenagem a essa data”, acredita.


Michel Teló não está neste projeto, mas já participou de outros similares da própria Som Livre como o Natal em família, no ano passado. Sino de Belém (Jingle bells) ganhou um toque sertanejo e ele a gravou com um instrumento bem significativo, a primeira sanfona que ganhou do pai. Michel diz que ainda que no Brasil não seja comum gravar discos de Natal como nos Estados Unidos, basta o artista querer para criar algo assim. “Mas tem que ter repertório e toda uma preparação. Vira um projeto e isso tudo toma tempo e investimento. É bacana, eu gosto. Quem sabe no próximo ano eu não faço um”, completa.

 


BAMBAS

Com direito a cavaco, banjo, bandolim e até ukulele (instrumento musical de cordas beliscadas que parece um violão menor), os sambistas Péricles e Thiaguinho, ex-integrantes do Exaltasamba, acabam de lançar o álbum especial Então é Natal. Contando com as participações dos cantores Lucas Morato (filho de Péricles), Hellen Caroline e Chitãozinho & Xororó, o projeto traz canções natalinas, além de religiosas como Ave Maria de Gounod, Ave Maria de Schubert e Vem, eu mostrarei.

 

Lucas, que participa de CD desse tipo pela primeira vez, não esconde a emoção. “Esse projeto foi um dos mais legais e mais emocionantes que já fiz. Teve muito carinho envolvido e espero que os fãs também se emocionem com essas músicas tão especiais. É um lindo disco e eu me sinto muito honrado em poder fazer parte”, frisa.



VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA