'YouTube rouba arte assim como os nazistas durante a segunda guerra', diz Thom Yorke

O líder do Radiohead disparou críticas à plataforma de vídeos, que arrecada dinheiro com publicidade e não repassa aos artistas.

por Estado de Minas 01/12/2015 09:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Sylvain Thomas
Vocalista do Radiohead esbraveja contra o YouTube (foto: Sylvain Thomas)
O YouTube tem agora um inimigo público: Thom Yorke, o líder da banda Radiohead. Em entrevista ao jornal italiano La República, o cantor criticou a plataforma de vídeos. “Artistas não são pagos, mas se o YouTube não conseguir um lucro fora dele, não é justo”, ironizou.

Para Yorke o que o site pertencente ao império Google faz é um controle estrito do que circula nele da mesma forma que os nazistas fizeram durante a segunda Guerra Mundial.

"Um amigo meu contou-me sobre este aplicativo para pular os comerciais no YouTube ... Eles colocaram publicidade antes de qualquer conteúdo, fazendo um monte de dinheiro e ainda, os artistas não são pagos ou recebem pequenos montantes, e, aparentemente, isso é bom para eles [YouTube ] ", afirmou.

Thom Yorke ressaltou que o curioso é o boicote que o YouTube propõe a esses aplicativos capazes de bloquear as propagandas. “Eles dizem que não é justo”, ironizou. O músico reconheceu não ter soluções para este problema.

“Só sei que eles estão ganhando dinheiro com o trabalho de artistas que não recebem qualquer benefício. As pessoas continuam a dizer que esta é uma época onde a música é livre, cinema é gratuito. Não é verdade. Os criadores desses serviços ganham uma enorme quantidade de dinheiro, por tabela. Assim como o mar, carregam tudo o que há. 'Oh, desculpe, o que foi seu agora é nosso'”, disparou.

Em 2013, o músico afirmou que o Spotify, plataforma para ouvir músicas em streaming, era a última esperança para uma indústria que já está morrendo.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA