Artistas fazem show em BH para ajudar população de Governador Valadares

A Fase Rosa, Kristoff Silva e Lupe de Lupe fazem parte da programação da noite desta quarta; ingressos serão trocados por quatro litros de água mineral

por Bossuet Alvim 24/11/2015 17:03

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Rodrigo Valente/Divulgação
Bernardo Dias (à esquerda), do duo O Mordomo: ''Não se trata apenas de contribuir com água, mas chamar atenção para o tamanho da brutalidade cometida contra nosso rio e contra nossa cidade'' (foto: Rodrigo Valente/Divulgação)
"Li que bem alto existe um lugar onde o homem não chega/ Pra onde vão os animais.” Os versos de Corram, da banda Vitrolas, vêm à memória do músico valadarense Bernardo Dias quando o assunto é a situação calamitosa de sua cidade natal. A composição, que ele assina com Fernando Persiano, evoca a ideia de refúgio natural, algo de que a maior cidade do Vale do Rio Doce carece.

"Fico triste, chateado com o que fizeram com Governador Valadares. Principalmente com o rio, em volta do qual a gente cresceu, que é sustento e cartão de visita da cidade", afirma.

A captação de água no Rio Doce, em Governador Valadares, foi suspensa por sete dias depois do rompimento de barragem da Samarco em Bento Rodrigues, distrito de Mariana. A lama de rejeitos de mineração que se espalhou pelo curso d'água comprometeu a qualidade do fornecimento à população.

 

Morando em Belo Horizonte, artistas valadarenses acompanharam aflitos a situação de seus conterrâneos. "De repente, ver aquele caos, a cidade com um cheiro forte, as pessoas sem água. Estamos todos muito atentos, porque aconteceu muito perto da gente, os atingidos são próximos a nós", explica Dias.

Tiago Nunes/Divulgação
A Fase rosa participa da jam session beneficente; baixista Rodrigo Magalhães lamenta impacto ambiental da tragédia em sua cidade natal, a maior no Vale do Rio Doce (foto: Tiago Nunes/Divulgação )
Para Rodrigo Magalhães, baixista de A Fase Rosa, o lamento pelo dano à população se estende ainda ao impacto ambiental da tragédia. "O rio é muito forte na vida da gente. Morei em Governador Valadares até os 18 anos e a relação com o Rio Doce é uma coisa muito importante para mim. Ver peixes mortos, a degradação, é algo sério que vai impactar muita gente, desde Bento Rodrigues até Linhares", ele ressalta.

Entre os músicos valadarenses que vivem em BH, a preocupação rendeu o show Água de beber, que reúne nesta quarta, 25, na Autêntica, bandas que têm integrantes nascidos na cidade — A Fase Rosa, Kristoff Silva, Xafu, Juventude Bronzeada, Papagaio Elétrico, Lupe de Lupe, Beatfunk, Boechat e o duo Mordomo, formado por Bernardo e Persiano. Os ingressos serão trocados por quatro litros de água mineral.

"A noite vai ser uma jam session, todo mundo tocando junto. É o momento de compartilhar esses anos de música e amizade", comemora Bernardo. Todas as doações serão encaminhadas para grupos que prestam assistência à população de Governador Valadares. O show serve ainda como grito de denúncia, segundo o músico do Mordomo. "Não se trata apenas de contribuir com água, mas chamar atenção para o que está acontecendo, para o tamanho da brutalidade cometida contra nosso rio e contra nossa cidade".

ÁGUA DE BEBER
Show com A Fase Rosa, Mordomo, Kristoff Silva, Xafu, Juventude Bronzeada, Papagaio Elétrico, Lupe de Lupe, Beatfunk e Boechat. Quarta (25), às 21h, na Autêntica (Rua Alagoas, 1.172 - Savassi). Entrada: 4 litros de água mineral. Informações: (31) 3654-9251.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA