Festival realizado no Mercado do Cruzeiro reúne time de bambas do choro

Roda de chorões vai reunir nomes como Hamilton de Holanda, Marcelo Chiaretti, Juliana Perdigão e Sílvio Carlos

por Walter Sebastião 30/10/2015 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Élcio Paraíso/divulgação
Juliana Perdigão, que vai deixar a clarineta de lado, promete soltar a voz (foto: Élcio Paraíso/divulgação)
O choro é livre. Pelo menos é o que garante a programação de um festival dedicado à mais charmosa música instrumental brasileira, em cartaz no Mercado Distrital do Cruzeiro. A agenda oferece uma atração especial: roda de chorões vai reunir gente de consideração, como o bandolinista Hamilton de Holanda e os mineiros Marcelo Chiaretti, Juliana Perdigão e Sílvio Carlos. Violonista do grupo Flor de Abacate, Sílvio será o homenageado da festa.


Roda de choro é escola de música, explica a cantora e clarinetista Juliana Perdigão. “Por mais que você estude em casa, tocar com outras pessoas é essencial ao aprendizado”, observa ela. Trata-se de uma reunião informal aberta à improvisação, que acaba puxando repertório comum a todos. “É diálogo, conversa inspiradora”, garante Juliana, explicando que as rodas cobram preparo – estudo mesmo. “Você deve ter a composição na cabeça, debaixo do dedo. É linguagem exigente”, avisa.

Juliana toca clarinete, mas o festival terá tantos bambas que preferiu cantar. O repertório dela traz composições antigas – Tarzan (O filho do alfaiate), de Noel Rosa – e recentes – como Baile no Bola, de Maurício Carrilho e Paulo César Pinheiro, e No mar do meu pensamento, de Agostinho Palucci. O repertório lembrará também a cantora Ademilde Fonseca, que imortalizou o chorinho clássico. Rápido e rítmico, ele cobra fôlego e extensão vocal.

Juliana conta que chorinho é a confluência feliz da música da Europa com as culturas que formaram o Brasil. “Até quem não toca e não ouve sabe que ele faz parte dos primórdios da música popular brasileira”, observa. “É sempre bom ouvir mais”, reforça, lembrando que festivais como o realizado em BH fazem com que esse gênero musical chegue a diversos públicos.

A produtora Karina Nicácio informa que a programação vai unir nomes novos e consagrados. “Em Belo Horizonte, o gênero é forte, está se renovando. A capital tem se tornado um dos principais polos de formação de instrumentistas, compositores e de casas do gênero”, diz.

Entre os novos grupos que vão se apresentar no festival estão o Isto é Nosso, criado em 2014, e Assanhado, que surgiu em 2010.

4º FESTIVAL CHORO LIVRE

Neste sábado, a partir das 15h. Mercado do Cruzeiro, Rua Ouro Fino, 452, Cruzeiro, (31) 3223-7844. Com Assanhado, Isto é Nosso, Hamilton de Holanda, Marcelo Chiaretti, Juliana Perdigão e Sílvio Carlos. Entrada franca.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA