Tiago Iorc apresenta show do álbum 'Troco likes' no Palácio das Artes

Cantor e compositor se desdobra em repertório de inéditas cantadas em português

por Ana Clara Brant 20/10/2015 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

 

O cantor e compositor Tiago Iorc, de 29 anos, é uma pessoa do mundo. De origem polonesa, nasceu em Brasília, depois se mudou para Curitiba. Mas já aos dez meses de vida foi morar na Inglaterra e nos Estados Unidos. Retornou para o Paraná e hoje vive no Rio de Janeiro.

Essa vivência por vários lugares e sobretudo o fato de ter tido o inglês como primeira língua influenciaram seu trabalho. Tanto é que Tiago se lançou no meio musical cantando no idioma da Rainha. Mas agora, em seu mais recente CD, Troco likes, ele resolveu se aproximar de seu país de origem com um repertório inédito e em português.

“Esse disco veio da minha vontade de estar mais próximo do público aqui no Brasil. Eu estava interessado em encontrar o diálogo mais direto, que pudesse fazer um link coerente do que eu queria dizer com o que pudesse ser relevante para pessoas daqui. É um disco que me aproxima mais do meu lado brasileiro, que sempre existiu”, destaca.
César Fonseca/Divulgação
''É um álbum que fala de carências e em que ponto chegamos quando nos deparamos com essa necessidade de ser importante para o outro'', diz Tiago sobre novo trabalho (foto: César Fonseca/Divulgação )
O artista, que estará na noite desta terça-feira, 20, no palco do Palácio das Artes, apresentando o show do novo trabalho, conta que fãs e crítica reagiram de maneiras diferentes a essa sua nova faceta. Mas ele assegura que é guiado principalmente pelo que sente.

“Subir ao palco no primeiro show da turnê e ver todas as pessoas cantando as músicas novas me mostrou o quanto é importante estar verdadeiramente conectado com o que faz sentido pra mim, para que isso seja relevante para outras pessoas”, frisa.

A questão da carência na era digital inspirou o álbum. Iorc conta que, enquanto foi amadurecendo o conceito do disco e escrevendo as músicas, foi ficando mais claro para ele o quanto a necessidade de ser apreciado tem sido cada vez maior para a maioria das pessoas.

 

 

“É um álbum que fala de carências e em que ponto chegamos quando nos deparamos com essa necessidade de ser importante para o outro. O desaparecimento da força da individualidade, principalmente. Ser gostado é significar. E significar para o outro é existir para nós mesmos. Mas chega a ser cômica essa carência exposta dessa forma tão banal, ainda mais nessa superficialidade. Como um comércio de sentidos sem sentido algum para a vida”, analisa.

Quase todas as faixas são de composições autorais. Apenas Bossa é uma releitura da banda Cidadão Quem do álbum Spermatozoon (1998). Além do repertório de Troco likes, a apresentação em Belo Horizonte vai contar com os sucessos do cantor que fizeram parte de trilhas sonoras, como a versão de What a wonderful world, da novela Sete vidas; Blame que integrou A favorita, a regravação de My girl, sucesso na trama de Manoel Carlos, Viver a vida, Gave me a name, tema de A vida da gente, entre outras.

Tiago Iorc, que está rodando o país com a nova turnê, diz ter um carinho especial pelo público mineiro. Tanto é que o projeto anterior, o CD Zeski, foi lançado em 2013 justamente em BH, no Sesc Palladium. “Amo o povo mineiro. Talvez sejam as minhas pessoas preferidas desse país. Não vejo a hora de dividir essas músicas novas com os mineirinhos”, afirma.

Tiago Iorc
Show Troco likes. Terça-feira, 20 de outubro, às 21h, no Grande Teatro do Palácio das Artes (Av.Afonso Pena, 1.537, Centro). Ingressos: R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia). Classificação: livre. Informações: (31) 3236-7400. Os bilhetes de meia entrada e Plateia I estão esgotados. Ingressos à venda na bilheteria do teatro ou pelo site www.ingresso.com.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA