Blind Guardian volta a BH com show de 'Beyond the red mirror' neste sábado

Após oito anos afastado da capital mineira, grupo alemão retorna com apresentação no Music Hall

por Daniel Seabra 06/10/2015 16:24

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Site oficial/Divulgação
(foto: Site oficial/Divulgação)
Depois do Gamma Ray, que se apresentou em Belo Horizonte no último sábado, a dobradinha do heavy metal alemão será completada com outro grande nome da cena, o Blind Guardian. O show do vocalista Hansi Kürsch e sua trupe será no sábado, no Music Hall. Depois de oito anos longe da capital mineira, eles retornam com a turnê Beyond the red, divulgando o disco Beyond the red mirror (2015).

Na última vez que estiveram por aqui, em 17 de março de 2007, o show foi um verdadeiro ‘the best of’. “Consideramos shows como grandes eventos para os fãs. Claro, nossa discografia tem crescido desde 2007, no entanto ainda temos que prestar atenção para nos certificarmos de que todas as épocas da banda serão apresentadas. Uma espécie de show ‘best of’ sempre reflete melhor a história da banda e é o que os fãs mais gostam”, frisou Hansi, prometendo que, quem for, se supreenderá um pouco. “Mesmo se falarmos de material mais antigo, seremos capazes de surpreender nossos fãs com canções que não tocamos nos últimos anos. Para lhe dar uma idéia, preparamos 45 músicas para essa turnê. São escolhas bem difíceis todas as noites. Uma música como ‘The bard’s song’, é claro, tem que ser tocada todas as noites.”

Desta vez, Hansi vem com quase a mesma formação que esteve por aqui em 2007, com André Olbrich (guitarra), Marcus Siepen (guitarra) e Frederik Ehmke (bateria). Mas a novidade é o novo baixista, Barend Courbois, que entrou este ano. “Em comparação com os baixistas anteriores do Blind Guardian, Barend tem um tom mais melódico. Então, se eu tivesse de apontar o essencial, diria que Barend deu uma progressão melodiosa na linha de baixo na sonoridade da banda. Sua força vem, obviamente, quando tocamos ao vivo, porque ele gosta de tocar e gosta de improvisar. Portanto, nossos shows tornaram-se ainda mais vivos, originais e espontâneos”, frisou.

O último disco, Behind the red mirror, é um dos mais bem produzidos na discografia da banda. Conta, inclusive, com a presença de uma orquestra nas músicas. Mas segundo o vocalista, isso não é empecilho para que ele seja executado ao vivo. “Não é tão difícil como parece. Aprendemos muito sobre como lidar com tais canções ao longo dos anos. Quando saímos em turnê com um novo álbum, mantemos nosso foco em uma quantidade relativamente pequena de canções deste novo trabalho. Temos encontrado uma boa solução para apresentar essas músicas em um bom set up ao vivo”, esclareceu

Mas sobre o último dissco, Hansi fala como elas serão executadas. “Quanto a Behind the red mirror, preparamos The ninth wave, Prophecies, Twilight of the gods, Miracle machine e, recentemente, Holy grail, que ainda temos que praticar um pouco mais antes de apresentá-la na América do Sul. Quem sabe Belo Horizonte é a cidade escolhida? O desafio é minimizar tais canções e ainda manter o essencial. Para meus ouvidos, todas as músicas que temos rearranjado do novo álbum estão soando perfeitamente. Ainda é difícil executá-las, mas é factível”, disse.

Sobre o futuro, o vocalista disse que o sucessor de Behind the red mirror já está no forno. “Isso para mim é como uma história sem fim. Conseguimos realizar a maioria do material, mas ainda há muito o que fazer. Nesse exato momento estamos lidando com questões criativas, como storyboard, os interlúdios e coisas assim. Ainda trabalhamos um novo álbum ao vivo, que está nos impedindo de terminar esse projeto orquestral no momento. Estou mirando em 2017 para este lançamento. Esta música, graças a Deus, é atemporal, então não temos nenhuma pressa em terminar”

E depois de oito anos longe de Belo Horizonte, o vocalista promete uma banda afiada e um grande show. “Oito anos é um tempo muito longo, meus amigos. Certifique-se de que você não pode perder esse show. Posso prometer uma banda em sua melhor forma, que está pegando fogo para executar um ótimo repertório para você. Então, vamos cantar Bard’s Song (referindo-se a um dos clássicos da banda)”, finalizou.

Blind Guardian em BH
Sábado, 10 de outubro, no Music Hall (Av. do Contorno, 3.239 - Sta Efigênia). Abertura da casa: 19h; show: 21h. Classificação etária: 16 anos. Menores de 16 tem entrada permitida com responsável legal, mediante apresentação de documento
 
Ingressos: Pista - R$ 260 (inteira); R$ 130 (meia) e R$ 170 (inteira promo) e camarote, com open bar (R$ 260)
Vendas pela internet ou em pontos de venda (sem taxa): Ingresso Rápido (Shopping 5ª Avenida, Loja 27C, Savassi) e Loja Túnel do Rock (Rua Rio de Janeiro, 839, Centro).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA