Eletronika se expande e cria opções para o público; veja programação

Estão marcados para este ano debates, oficinas, seminários que discutem arte e urbanismo, workshop e exposição sobre linguagem digital

por Mariana Peixoto 06/10/2015 09:09

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Hilda Melissa Holguin/Divulgação
O Projeto Dengue Dengue Dengue! se apresenta no domingo, às 18h, na Praça da Liberdade (foto: Hilda Melissa Holguin/Divulgação)
O Eletronika nasceu em 1999 como festival. Ao longo de 15 edições, ocupou espaços do Parque Municipal, Funarte (então Casa do Conde), Serraria Souza Pinto e Cine México, muito antes que a ocupação da região central entrasse na ordem do dia. Trouxe a Belo Horizonte nomes de quem parte do público daqui nunca havia ouvido falar, parte nunca  havia sonhado em assistir em seu próprio quintal, de Tortoise a LCD Soundsystem e a Asian Dub Foundation.

Fez grandes eventos, principalmente as edições do início dos anos 2000, e ao longo dos anos assistiu à música transformar-se. Acabou mudando também, ganhando braços para além do show e da festa. Sua 16ª edição, que começa amanhã e vai até a próxima terça-feira, vem sendo chamada “plataforma”. Agrega, além do festival, também os projetos Cidade Eletronika (debates, oficinas e seminários que discutem arte e urbanismo) e Forum Eletronika (workshop e exposição sobre linguagem digital). A plataforma digital eletronika.com.br traz ainda rádio e revista.

Ocupações

Neste ano, e pela primeira vez, será realizado no Circuito Cultural Praça da Liberdade. Vai ocupar tanto alguns prédios – Memorial Minas Gerais, Museu das Minas e do Metal, Espaço do Conhecimento e Biblioteca Pública Luiz de Bessa – como também a praça. Chega inclusive ao Palácio da Liberdade, com a chamada Festa das Luzes, intervenções audiovisuais que serão realizadas na fachada do prédio. A nova edição ganha novo braço, o chamado Eletronika Kids, com shows e oficinas na praça no Dia das Crianças. Toda a programação tem entrada franca.

“Até então havia um hiato entre uma edição e outra. Hoje, como estamos trabalhando também com rádio e revista, mantemos uma conexão direta com a música que está acontecendo agora. Há uma continuidade”, afirma Aluizer Malab, produtor do Eletronika. O sentido de festa do projeto ainda se mantém com shows na Praça da Liberdade e  fora do entorno. No sábado, o Mercado do Cruzeiro vai receber três nomes – Psilosamples, Lord Breu e DJ Dolores – para uma noite de discotecagem.

“A ‘nossa’ música eletrônica não é a popular. Não tocamos EDM (a música das pistas, mais comerciais). Nossa plataforma busca se conectar com o que tem pouca visibilidade”, acrescenta Malab. Entre as atrações da parte festiva do Eletronika – sábado e domingo, na praça – estão brasileiros (o pernambucano DJ Dolores junto ao paraibano Chico Corrêa, o projeto carioca Omulu e o duo, também do Recife, Dengue Dengue Dengue!), um argentino (Chancha Via Circuito) e um inglês radicado na Colômbia (Quantic).

Encontros

Dos convidados, é Dolores, cuja carreira despontou na mesma época da criação do Eletronika, quem mais participou do festival. “Para mim, o momento mais marcante foi uma apresentação do DJ Marlboro (em 2003, no ginásio do Minas Tênis Clube). Foi superinteressante, porque estávamos meio que no fim da era do drum’n’bass e o festival mostrava a transição para o baile funk a um povo classe média.” Foi ali que o próprio Dolores conheceu Marlboro, com quem faria parceria pouco depois.

“O que mais gosto em festival são os encontros”, conta Dolores, que, assim que soube que iria se apresentar numa praça, mudou o conceito da apresentação com Chico Corrêa. “O que a gente tem feito não é para dançar. Aí resolvemos adaptar, trocar as produções e tirar esse caráter experimental. O maior pecado de um DJ é ser chato”, conta. Dolores olha para o passado sem nostalgia. “Quando comecei a frequentar o Eletronika, eu viajava com um MPC, uma caixa de efeitos e às vezes até toca-discos. Era uma loucura. Hoje, é só um laptop. E a possibilidade de improviso é muito maior”, finaliza.

ELETRONIKA

De amanhã a terça, no Circuito Cultural da Praça da Liberdade. Entrada franca. Informações: www.eletronika.com.br

>> CIDADE ELETRONIKA
De quarta a domingo, com workshops, palestras, mostra audiovisual e shows

>> FORUM ELETRONIKA
De sexta a terça, com painéis, workshop e exposição

>> FESTIVAL ELETRONIKA
Apresentações no sábado, às 17h, e domingo, às 16h; segunda, das 9h às 18h, Eletronika Kids

>> FESTA DAS LUZES
Sábado e domingo, às 19h, projeções audiovisuais

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA