Tidal ou Spotify? Preparamos um comparativo entre os dois serviços

Serviço do rapper Jay Z chegou ao Brasil nesta semana com o objetivo de bater de frente com o líder de mercado Spotify

por Estado de Minas 01/10/2015 11:02

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Arte: Estado de Minas
Tidal versus Spotify. Serviço milionário de Jay Z tenta bater de frente com o líder do mercado (foto: Arte: Estado de Minas)
Nesta terça-feira estreou no Brasil o Tidal, serviço de streaming de música que ficou famoso após ser comprado pelo rapper Jay Z e contar com a participação de super celebridades como Rihanna, Madonna e Beyoncé em sua administração.

O serviço chega ao país tentando bater de frente com outras marcas existentes no segmento, como Deezer, Rdio e, claro, o líder absoluto do mercado: o Spotify.

Testamos o serviço do Tidal e preparamos um comparativo com os principais elementos e ferramentas dos dois aplicativos para descobrir qual vale mais a pena para o consumidor brasileiro. Confira:

Preço

O Tidal chega no Brasil praticando o mesmo preço do rival Spotify. Ambos os serviços cobram uma mensalidade de R$ 14,90 de seus assinantes premium. Os diferenciais: no Spotify, o novo assinante ganha um pacote de R$ 1,99 nos três primeiros meses de assinatura. No Tidal, um segundo plano premium, mais caro, sai por R$ 29,80, com direito a músicas em altíssima qualidade por tecnologia lossless, que diminui o tamanho dos arquivos sem comprometer a qualidade.

Vencedor: empate


Acervo

Ambos os serviços anunciam a mesma quantidade de músicas disponíveis no acervo: mais de 30 milhões - assim como o Deezer e o Rdio. Diferencial do Tidal pode ser seu acervo de mais de 80 mil vídeos.

Vencedor: empate


Taylor Swift e Beatles

Kevork Djansezian/Getty Images/AFP
Sementinha da discórdia: Taylor Swift deixou o Spotify no final de 2014, desde então empresa registra recorde de usuários e assinantes. No Tidal, cantora disponibiliza seus discos, exceto o último sucesso '1989' (foto: Kevork Djansezian/Getty Images/AFP )
Ela foi o principal motivo pela popularização do Spotify. A declaração foi dada pelo próprio CEO da empresa, Daniel Ek, que alegou ter conseguido mais assinantes desde que Taylor Swift decidiu não disponibilizar seus álbuns na plataforma. Com o Tidal não foi diferente. O que muda é que os álbuns de Taylor antes do sucesso '1989' estão no serviço de Jay Z, enquanto que no Spotify resta só o desejo. Situação parecida com os Beatles. O quarteto de Liverpool não disponibiliza seus álbuns em plataformas de streaming, porém é possível encontrar compilações dos primeiros trabalhos da banda.

Vencedor: Tidal


Conteúdo nacional

Fãs da música brasileira tem seu espaço nas duas plataformas, mas é inegável o trato mais "de casa" dado pelo Spotify. O serviço disponibiliza acevo de artistas consagrados e revelações da cena nacional, além de playlistas trabalhadas com conteúdo brasileiro para cada momento, além de um serviço personalizado de parada de sucessos no Brasil e músicas nacionais que são tendência. No Tidal o conteúdo nacional não é esquecido. Há um bom acervo de artistas nacionais, mas ainda falta uma maior atenção ao público brasileiro. Muitas playlistas disponibilizadas na seção 'Nacional', por exemplo, são compostas inteiramente por músicas de artistas internacionais.

Vencedor: Spotify


Layout

Reprodução Reprodução
Todo o conceito de navegação dos dois serviços são bem parecidos. Interface por blocos, destacando playlists, tendências e gêneros. Porém, na nossa avaliação, o Spotify apresenta o conteúdo mais limpo em suas telas. No Tidal a navegação é mais confusa, com muitos elementos em uma só tela. Vale destacar também a atenção aos detalhes. O spotify oferece uma série de pequenos recursos que facilitam a vida do usuário no dia-a-dia, como a função de organizar músicas por data ou por ordem alfabética ou a de organizar uma fila de reprodução, o que é mais difícil no Tidal principalmente na versão mobile.

Vencedor: Spotify


Qualidade do streaming

Cada serviço se apega aos seus diferencias para atrair o público. No Tidal, uma das qualidades que a empresa mais gosta de deixar claro é a qualidade do streaming, que pode chegar a 1411kbps. A plataforma se utiliza da tecnologia lossless, que compacta o tamanho dos arquivos sem perder a qualidade. É bom ressaltar que os 1411kbps de qualidade no Tidal são para usuários HiFi, o plano mais caro da empresa (R$ 29,80). No pacote simples de R$ 14,90 a qualidade é a mesma do concorrente Spotify, 320kbps.

Vencedor: Tidal


Grátis

Ouvir música de graça é um luxo na disputa que, infelizmente, só esta disponível em um dos lados. Apenas no Spotify é possível criar uma conta free e ouvir as canções ilimitadamente na internet. No Tidal não é possível ser um usuário gratuito. O serviço até disponibiliza 30 dias de graça para novos usuários, mas, para quem continuar após um mês, as cobranças mensais começarão a ser efetuadas. Porém, é sempre bom lembrar que os benefícios de usuário free no Spotify se resumem à internet. Em aplicativos móveis os 'gratuitos' estão submetidos a uma série de limitações como a impossibilidade de pular mais que 5 músicas o estão sujeitos a propagandas nada agradáveis.

Vencedor: Spotify


Vídeos

Quer assistir Beyoncé ao vivo no Global Citizen? Rihanna no Rock in Rio? Ou até mesmo estreias de videoclipes e versões exclusivas? Esqueça o Spotify, seu lugar é no Tidal. Outro diferencial que a empresa de Jay Z adora se gabar é o de disponibilizar vídeos em seu acervo. Já são mais de 80 mil. No Spotify o recurso não está disponível, porém o CEO da empresa, Daniel Ek, já anunciou que pretende começar a exibir vídeos na plataforma.

Vencedor: Tidal


Rádio

Uma boa maneira de descobrir novas músicas nas duas plataformas são os serviços de rádio. Nas duas marcas a função é parecida: basta clicar em uma música, selecionar a opção de rádio e acompanhar uma seleção gerada automaticamente com músicas semelhantes à escolhida.

Vencedor: empate


Offline

Tanto Tidal quanto Spotify oferecem a opção de baixar as músicas e ouvi-las offline quando quiser. Os arquivos são armazenados na memória do dispositivo. A opção de baixar as músicas e ouvir offline são exclusivas para assinantes.

Vencedor: empate

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA