Melodias cubanas percorrem o mundo após acordo com a gravadora Sony

O público fã do ritmo poderá apreciar o maravilhoso acervo da cultura musical do país

por Correio Braziliense 29/09/2015 10:34

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
AP Photo/Keystone, Martial Trezzini
Ibrahim Ferrer é um dos músicos cubanos que serão divulgados em larga escala (foto: AP Photo/Keystone, Martial Trezzini)
Nas casas de show La Tropical e La Casa de la Musica, a juventude de Havana se entrega ao som dos ritmos afro-caribenhos salsa, cha-cha e rumba. Sensual, eletrizante e envolvente, a sonoridade cubana é única. Com a retomada das relações diplomáticas entre a ilha e os Estados Unidos, começa uma nova era para a música do país.

No começo do mês, a Sony Music adquiriu os direitos de distribuição do catálogo da produtora estatal Egrem (Empresa de Gravações e Edições Musicais). As gravações da produtora já foram licenciadas para distribuição internacional no passado, mas nunca em grande escala. A Egrem domina 95% do mercado nacional e tem em seus arquivos mais de 20.000 faixas dos mais influentes artistas de Cuba.

“Esse acordo histórico ajudará a expandir internacionalmente a conscientização e apreciação da cultura cubana, da rica herança musical de Cuba e dos seus maravilhosos artistas”, declarou Doug Morris, diretor executivo da Sony Music Entertainment, em comunicado oficial.

Entre as aquisições da Sony, estão as gravações da banda cubana Irakere, conhecida pela fusão de instrumentos tradicionais de percussão com jazz americano. A banda deu início a uma nova onda musical conhecida como jazz afro-cubano. As improvisações em estilo bebop marcaram a carreira do grupo e influenciaram gerações mais novas de músicos.

Outra preciosidade do catálogo é o grupo Los Van Van, conhecido por usar a música tradicional do país como base para experimentações eletrônicas. Outros estilos tipicamente americanos, como o funk e hip-hop, também foram incorporados pela banda no decorrer de sua carreira. O último álbum lançado pelo grupo, 'La fantasía' (2014), também foi o trabalho final do fundador do grupo o baixista Juan Formel, que faleceu ao fim das gravações.

Passado presente

Omara Portuondo, Bola de Nieve, Elena Burke, Ibrahim Ferrer, Compay Segundo, Celina Gonzalez, Cesar Portillo de la Luz e Guillermo Rubalcaba são alguns dos nomes que figuram na lista. Muito desses artistas fizeram parte da orquestra Buena Vista Social Club, cujo sucesso ajudou a popularizar a música cubana pelo mundo.

Em 1999, a orquestra ganhou fama mundial por meio do documentário Buena Vista Social Club, que mostrou a história de vários artistas cubanos que viviam no ostracismo. A trilha sonora do filme foi um sucesso de vendas e difundiu a música tradicional de Cuba.

“A Sony Music está honrada por trazer essa música icônica — representando cinco décadas de cultura cubana — para todos os cantos do mundo” afirmou Edgar Berger, presidente e diretor-executivo da Sony Music International.

Havana hoje

A banda Nube Roja, criada pelos amigos de infância Anthuan Perugorría e Lázaro Peña, é composta por guitarra, baixo, bateria e teclados, nada mais distante da imagem típica do que é música cubana. Influenciados por música eletrônica e astros do pop como Bruno Mars, Nube Roja mostra que não é só de salsa que vive Cuba.

No underground de Havana, a dupla de hip-hop Obsessión é considerada a “consciência de uma geração”. Alexey Rodríguez Mola e Magia Lopez têm entre seus fãs grandes nomes internacionais como Harry Belafonte, Afrika Bambaata e Mos Def.

 O duo é conhecido por seu envolvimento em causas sociais e por letras que criticam a condição do homem negro em Cuba. O novo álbum da dupla está previsto para o ano que vem.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA