Nenhum de Nós se apresenta em Belo Horizonte nesta sexta-feira

Banda homenageia o líder da Soda Stereo em seu novo disco

por Mariana Peixoto 04/09/2015 08:40

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Raul Krebs/divulgação
(foto: Raul Krebs/divulgação)
Dificilmente 'Sempre é hoje', novo álbum da banda Nenhum de Nós, existiria não fosse a influência de Gustavo Cerati (1959-2014). O fundador da banda Soda Stereo, uma das maiores formações do rock argentino, já havia tido uma conversa informal com os gaúchos sobre a participação em um futuro trabalho.

Isso ocorreu há alguns anos. Só que Cerati sofreu um acidente vascular cerebral (AVC), permanecendo em coma por quatro anos, até morrer, em 4 de setembro de 2014. Thedy Corrêa, vocalista do Nenhum de Nós, afirma que o cantor, compositor e guitarrista portenho é, ao lado de David Bowie, a maior influência em sua vida.

Dá para imaginar que hoje não faltarão homenagens para Cerati, exatamente um ano depois de sua morte. No Cine-Theatro Brasil, o Nenhum de Nós promove o show de lançamento do álbum 'Sempre é hoje', seu 16º disco – o título veio de um álbum de Cerati ('Siempre es hoy', de 2002).

As influências são várias, diz Thedy. “Isso se deu em termos de composição, na maneira de colocar um refrão, de abordar um tema e também no diálogo do rock com as correntes mais modernas da música eletrônica. O Soda Stereo (que durou de 1982 a 1997, voltando para turnê no fim da década passada) foi a maior banda de rock da América Latina. Eles lotavam estádios de futebol, tinham fãs até na Espanha e nos EUA. Uma pena que o Brasil não ficou sabendo deles”, lamenta o gaúcho.

KISAI MENDOZA/AFP - 15/5/10
Ícone do rock argentino, Gustavo Cerati morreu há um ano (foto: KISAI MENDOZA/AFP - 15/5/10)
'Sempre é hoje' não traz canções de Cerati (a banda fez um registro de 'Crimen', do argentino, em seu DVD mais recente), só faixas inéditas e autorais. Mas ele esteve presente, de certa maneira, em todo o processo. O disco foi produzido por Jr. Tostoi (guitarrista e produtor de Lenine), que Thedy veio a descobrir ser um grande fã de Cerati.

Os cinco integrantes do Nenhum de Nós, o produtor e um técnico de som se reuniram em um estúdio em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, para produzir um EP com cinco faixas. A intenção era compor e gravar ao longo de 10 dias. “O processo fluiu tão bem que fizemos 11 músicas”, conta o vocalista. Só uma não foi gravada no CD.

Para o show desta noite, o grupo vai contar com uma convidada: Roberta Campos. A mineira de Caetanópolis, hoje radicada em São Paulo, dividiu com Thedy da autoria de 'Foi amor'. Pelo menos outras cinco canções do álbum estarão no repertório. E também muita coisa antiga ('Astronauta de mármore', 'Camila, Camila', 'Você vai lembrar de mim'), pois a banda – Carlos Stein e Veco Marques (guitarras), Sady Homrick (bateria) e João Vicenti (teclados e acordeom), além de Thedy – soma 28 anos de carreira.

“Costumo dizer que 'Sempre é hoje' é uma janela para o passado e para o futuro. O futuro é este disco, o passado as músicas que marcaram a nossa história”, conclui Thedy.

NENHUM DE NÓS
Nesta sexta-feira, às 21h. Cine Theatro Brasil Vallourec, Praça Sete, Centro, (31) 3626-1251. Ingressos: R$ 90 (inteira) e R$ 45 (meia-entrada).

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA