Marco André, Pepeu Gomes e o trio de percussão amazônica Manari dividem palco em BH

Show faz parte do projeto Conexão Brasil e acontece no Teatro Bradesco nesta terça e quarta-feira

por Eduardo Tristão Girão 01/09/2015 09:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ALEXANDRE MOREIRA/DIVULGAÇÃO
Os guitarristas Marco André e Pepeu Gomes, que fazem show hoje em BH (foto: ALEXANDRE MOREIRA/DIVULGAÇÃO)
A princípio, parece muito, mas eles garantem que é possível colocar tudo num repertório só: samba, afoxé, guitarrada, carimbó, rock e chorinho. Os guitarristas Marco André e Pepeu Gomes e o trio de percussão amazônica Manari sobem ao palco do Teatro Bradesco, em Belo Horizonte, nas noites desta terça e quarta-feira, para mostrar como fica essa mistura. Os shows encerram o projeto Conexão Brasil, que contemplou outras capitais.


Marco e o Manari são de Belém, no Pará; Pepeu é baiano de Salvador.  “A música do Pará desde sempre tem essa mistura caribenha, agora mais latente em função de a mídia brasileira ter ‘descoberto’ isso. O Pepeu já tem sotaque muito latino. Ele veio do rock, passou pelo samba e o trabalho solo dele tem muito de latinidade”, afirma Marco André. Os dois já haviam tocado juntos, inclusive com participações do trio (do qual o paraense é produtor).

'Nem revi nem laite', de 2013, é o mais recente dos cinco álbuns que Marco lançou. De outro CD, 'Olhar e segredo' (1990), foi pinçada 'Meu bem meu mal', música incluída na abertura da novela de mesmo nome da TV Globo. Ele tem canções gravadas em coletâneas internacionais e por artistas da MPB, tendo sido vencedor também de um Prêmio TIM de Música (atual Prêmio da Música Brasileira). O disco de estreia da conterrânea Dona Onete foi produzido por ele.

O programa do show conta com composições dos dois guitarristas, como 'Amazônia groove' (de Marco) e 'Eu também quero beijar' (Pepeu, Fausto Nilo e Moraes Moreira), além de temas dos Novos Baianos e releituras de nomes como Jorge Ben Jor e Mestre Lucindo. O Manari, especializado em ritmos amazônicos, toca 'Chama verequete' (domínio público) e temas em parceria com Marco, caso de 'Santeria cuban'a e 'De que jeito você vê a lua'.

“Houve um sincronismo muito grande desde que a gente se encontrou. Tem as guitarradas do meu lado, aqueles solos do Pepeu e a pegada do Manari, que é diferente e, ao mesmo tempo, universal. As pessoas ficam deslumbradas ao assistir  a Kleber Benigno, Márcio Jardim e Nazaco Gomes, que formam o trio, tocando. É uma coisa vibrante, o couro come”, elogia Marco.

Os artistas já iniciaram conversa sobre a possibilidade de registrar esse encontro em DVD. A turnê, que passou pelo Rio de Janeiro, Belém e Salvador, acaba na capital mineira, mas há possibilidade de que o mesmo show seja montado em breve em outras cidades. Música em parceria também não existe ainda, mas é questão de tempo, diz Marco: “Eu e Pepeu estamos ‘namorando’. Estou levando uma letra pronta para ele. Quem sabe não nasce em BH?”.    

CONEXÃO BRASIL
Show comMarco André, Pepeu Gomes e Trio anari. TErça e quarta, às 20h, no Teatro Bradesco (Rua da Bahia, 2.244, Lourdes).
Ingressos: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia entrada),  venda na bilheteria (das 12h às 00h) ou pelo site www.ingresso.com.
Informações: (31) 3516-1360.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA