Ira! planeja novo disco enquanto relembra hits do álbum de estreia

Grupo apresenta repertório do disco 'Mudança de corportamento', além de clássicos, no Chevrolet Hall

por Mariana Peixoto 03/07/2015 09:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Rui Mendes/divulgação
Edgar Scandurra e Nasi: pazes seladas e muitos planos (foto: Rui Mendes/divulgação)

Há pouco mais de um ano, Edgard Scandurra e Nasi fizeram as pazes, colocando ponto final numa das maiores lavações de roupa suja do rock brasileiro. De volta depois de sete anos com seus dois principais integrantes – André Jung e Ricardo Gaspa nunca foram cogitados para retornar ao grupo –, o Ira! não parou de fazer shows. Amanhã, no Chevrolet Hall, a banda se apresenta pela terceira vez em BH em 12 meses.

Mas desta vez vai ser diferente, garante Nasi. A banda vai tocar, não na íntegra, mas em sua quase totalidade, Mudança de comportamento. Em maio, o primeiro álbum do Ira! fez 30 anos. “Duas semanas atrás, na Virada Cultural de São Paulo, fizemos o show desse disco no Teatro Municipal. Foi um dos shows mais apoteóticos da carreira: teatro lotado, duas mil pessoas do lado de fora. A gente não imaginava que ia ter essa proporção”, conta ele.

A ideia é apresentar esse repertório amanhã, além de sucessos dos outros 10 álbuns de carreira. No início de 1985, Mudança... foi gravado em apenas uma semana. “A gente estava encostado na Warner (que contratara a banda havia pouco). Éramos pós-punk, e aquilo não tocava no rádio. Até que um dia a gravadora falou que tinha uma semana de estúdio no Rio (o Nas Nuvens, de Liminha). Fomos lá e gravamos”, relembra Nasi. Para dar nome aos bois, Mudança... é o álbum que traz Núcleo base, Tolices, Longe de tudo e a faixa-título, é claro.

Recentemente, a DeckDisc relançou em vinil esse disco e os dois posteriores do Ira! (Vivendo e não aprendendo, de 1986, e Psicoacústica, de 1988). “O vinil tem 180 gramas, o dobro daquele da época. Isso resulta numa qualidade sonora incrível”, explica Nasi.

 Hoje, a banda se completa com dois parceiros da carreira solo do vocalista (o baterista Evaristo Pádua e o violonista e tecladista Johnny Boy) e outro do guitarrista – o baixista Daniel Scandurra, primogênito de Edgard.

Com a boa receptividade da turnê, Nasi fala de um futuro para além do revisionismo atual. “O próximo passo do Ira! é gravar um disco. Só que tanto eu quanto o Edgard, quando nos reunimos, já estávamos engatilhados com nossos trabalhos solos. Então, acho que vamos nos reunir para compor entre o fim deste ano e o início do próximo.”

Enquanto o disco novo não sai, Nasi vai de projeto especial. Ele gravou, para o Canal Brasil (programa Faixa musical), 13 canções no estúdio Audio Arena, que fica dentro do Estádio do Morumbi. Metade do repertório é autoral, registrado no álbum Perigoso. A outra parte traz regravações como Sol e chuva, de Alceu Valença. A ideia é lançar o especial de TV (que ganhará uma edição em disco) entre setembro e outubro.

IRA!
Amanhã, a partir das 22h. Chevrolet Hall, Avenida Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi. Ingressos: 2º lote – R$ 80 e R$ 40 (meia); 3º lote – R$ 100 e R$ 50 (meia); 4º lote – R$ 120 e R$ 60 (meia). Informações: (31) 3209-8989.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA