Hyldon lança na rede versão customizada de seu disco de estreia

Músico é pioneiro do soul nacional

por Kiko Ferreira 21/06/2015 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
João Wainer/divulgação
O cantor e compositor baiano Hyldon forma o 'quarteto do soul' com Tim Maia, Cassiano e Carlos Dafé (foto: João Wainer/divulgação)
O autor do mais famoso tchu-tchu-ru-tchu da soul music brasileira quer que suas canções mais famosas possam ser (re)ouvidas na rua, na chuva, na fazenda. No ano em que comemora quatro décadas de carreira, o baiano Hyldon dribla os limites da indústria fonográfica e usa um truque comum aos que não conseguem controlar as reedições de material original ou simplesmente buscam alternativas a fonogramas oficiais, presos a antigas leis de direito autoral e fonográfico. Para poder distribuir suas canções mais famosas de graça na internet, Hyldon refez, com voz e violão, todas as faixas de seu disco de estreia, Na rua, na chuva, na fazenda, e acrescentou ao projeto o subtítulo A origem.

Lançado em versão com projeto gráfico simples, sem encarte ou embalagem sofisticada, o álbum pode ser baixado de graça no site do artista (www.hyldon.com.br). Se o fã preferir, pode ser comprado e recebido em casa, pelo correio, com autógrafo e tudo. Basta enviar e-mail para hyldonsouza@gmail.com. Sintomática ação daquele que é considerado um dos grandes do gênero, ao lado de Tim Maia, Cassiano e Carlos Dafé.

Hyldon, que só estreou em disco em 1975, depois de compor e produzir sucessos alheios e tocar nas bandas de Tim, Erasmo Carlos e Tony Tornado, soa como um quase estreante, relendo seu próprio material como se estivesse em estúdio, violão em punho, apresentando rascunhos para os futuros arranjos que tornaram sua obra atemporal e prestigiada.

Hits como As dores do mundo, Na sombra de uma árvore e a faixa-título ressurgem como música de barzinho, em versões que podem ser confundidas com simples releituras de fãs. Há faixas, como a sintomática Guitarras, violões e instrumentos de samba, que parecem gritar por um arranjo. Ou pelo instrumental que o trio Azymuth desenvolveu no LP original.

Outras, como o samba Balanço do violão, conseguem se sustentar. Mas todas longe, por exemplo, da série Acústico MTV, em que as canções eram reinventadas e atualizadas em formato sem eletricidade. Roots, bloody roots.

FAIXAS

• Eleonora
• Na rua, na chuva, na fazenda
• Sábado e domingo
• As dores do mundo
• Quando a noite vem
• Acontecimento
• Vamos passear de bicicleta
• Guitarras, violinos e instrumentos de samba
• Vida engraçada
• Meu patuá
• Balanço do violão

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA