Clara Sverner faz concerto em BH

Pianista se apresenta no Palácio das Artes nesta sexta

por Ana Clara Brant 19/06/2015 10:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
VICENTE DE PAULA/DIVULGAÇÃO
A pianista Clara Sverner se apaixonou pelo piano aos 4 anos, quando ouviu o instrumento num hotel mineiro (foto: VICENTE DE PAULA/DIVULGAÇÃO)
A carreira musical de uma das pianistas mais aclamadas e talentosas do Brasil, a paulista radicada no Rio de Janeiro Clara Sverner, de 78 anos, começou em Minas Gerais. Ela tinha apenas 4 anos quando foi passar um fim de semana em São Lourenço, no Sul do estado, com os pais. No hotel, a menina de repente começou a ouvir um som diferente. “Era uma pianista que estava tocando. Eu nunca tinha visto aquilo. Desci as escadas e fui atrás daquele som. Fiquei enlouquecida”, recorda a artista, que se apresenta na série Piano para Todos, nesta sexta, às 20h30, no Palácio das Artes.

Assim que a família retornou a São Paulo, onde vivia, Clara fez um pedido inusitado ao pai: um piano. Ele estranhou e ofereceu uma boneca à filha. “Não aceitei. Minha paixão pelo instrumento foi tão forte que nada que ele me desse em troca iria diminuir essa vontade de ter um piano.”

No repertório desta noite, a pianista vai mostrar obras de três compositores brasileiros (Chiquinha Gonzaga, Heitor Villa-Lobos e Glauco Velásquez), e também de Mozart, Debussy, Ravel e Chopin. Além de tocar, Clara – que ontem ofereceu uma masterclass gratuita em Belo Horizonte – intercala histórias sobre esses grandes artistas da música erudita. “Gosto muito desse trabalho de redescoberta da nossa memória”, pontua. A concertista é pioneira na revalorização da produção pianística de Chiquinha Gonzaga, a quem dedicou várias gravações, e na obra de quem se tornou uma das maiores especialistas e intérpretes.

ACESSO

O projeto Piano para Todos objetiva valorizar obras da cultura brasileira e promover acesso à boa música e percorre seis cidades brasileiras. A iniciativa já passou por Natal e Vitória. Depois de BH, segue para o Rio de Janeiro, Palmas e Brasília. “A repercussão tem sido maravilhosa. Não só nas masterclasses, mas nos recitais também. Ter esse contato com o público e, sobretudo, com os jovens músicos é muito interessante e gratificante. O brasileiro sempre foi um apaixonado por piano e o fato de essas apresentações terem preços populares facilita ainda mais”, destaca a artista, que tem duas indicações ao Grammy Latino.

Clara, que já aos 6 anos era uma menina prodígio e aos 11 conquistou seu primeiro concurso e se apresentou ao lado de uma orquestra, é uma intérprete de talento reconhecido por público e crítica do Brasil e no exterior. A pianista iniciou sua formação em São Paulo, com o professor José Kliass, e aperfeiçoou-se mais em centros musicais como o Conservatório de Genebra (Suíça) e o Mannes College of Music, em Nova York. “A música clássica faz parte da cultura profunda e abre os horizontes. Não consigo imaginar minha vida sem ela”, resume.

CLARA SVERNER
Sala Juvenal Dias. Av. Afonso Pena, 1.537, Centro, (31) 3236-7400. Sexta, às 20h30. R$ 20.


PROGRAMA

Chiquinha Gonzaga – 'Bionne (Adeus)'/ 'Atraente'
Heitor Villa-Lobos – 'Impressões seresteiras'
Glauco Velásquez – 'Devaneio sobre as ondas'/'Brutto Sogno (pesadelo)'
Mozart – 'Sonata K.V. 331 (Andante Grazioso/Menuetto/ Alla Turca)'
Debussy – 'Clair de Lune'/ 'Feux d’Artifice'
Ravel – 'Sonatine (Moderé/Mouvement de Menuet /Animé)'
Chopin – 'Ballade nº 1'
 
Ouça Clara Sverner interpretando Chiquinha Gonzaga:
 
 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA