Violonista Romero Lubambo se apresenta na praça Floriano Peixoto

Músico, radicado nos EUA há 30 anos, traz o clima de música em espaços públicos típicos da metrópole americana para a capital

por Ailton Magioli 22/05/2015 09:14

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gerard Byrne/Divulgação
(foto: Gerard Byrne/Divulgação)
Acostumado ao verão nova-iorquino, em que apresentações ao ar livre se tornam quase rotina em parques públicos, o violonista carioca Romero Lubambo, radicado nos EUA há 30 anos, volta ao Brasil para fazer concerto nesse formato em Belo Horizonte. Amanhã, ele será atração da série BH Instrumental, na Praça Floriano Peixoto.

Acompanhado de Marcelo Mariano (baixo) e Ramon Montagner (bateria), Romero se alterna entre o violão e a guitarra para interpretar jazz, blues e pérolas de Pixinguinha, Garoto e Dominguinhos. Também promete temas autorais que vem registrando em discografia rara por aqui, embora contabilize vários títulos lançados nos EUA e no Japão. O álbum mais recente foi 'Só – Brazilian essence', apontado pela revista DownBeat como um dos melhores lançamentos de 2014.

BRASIL

Depois de dois discos brasileiros em duo com Leny Andrade, ele gravou outro de violão solo, com lançamento previsto para setembro, e se prepara para um CD em trio com o Duo Assad. Aliás, trio é a formação em que o violonista mais tem se exercitado.

Os companheiros de palco são especiais: Marcelo Mariano, filho de César Camargo Mariano e da cantora Marisa Gata Mansa, é considerado “um sobrinho” por Lubambo. Por sua vez, o baterista Ramon Montagner lhe foi recomendado por um amigo.

Além da opção pelo mercado internacional da música, a mudança de Romero para os EUA, em 1985, envolveu o interesse do carioca em assimilar a cultura norte-americana. “Nova York é uma panela com tudo o que se pode imaginar. Minha carreira foi desenvolvida aqui (em NY), onde fiz de quase tudo”, diz Lubambo. Ele conta que decidiu retornar ao país aos poucos, a partir do ano passado, depois da descoberta de “fãs queridos no Brasil”.

De Ary Barroso ('Aquarela do Brasil') a César Camargo Mariano ('Samambaia'), passando por Carlos Lyra ('Coisa mais linda'), Tom Jobim ('Insensatez' e 'Brigas nunca mais') e temas autorais ('Paquito in Bremen'), em 'Só – Brazilian essence' o instrumentista volta às influências do jazz e da música brasileira, com direito a incursões por clássicos. Ao vivo, como gosta de dizer, ele costuma fazer “um pouco de cada coisa”. A conferir.

ROMERO LUBAMBO TRIO
Sábado, às 20h30. Praça Floriano Peixoto, Santa Efigênia. Entrada franca. Informações: (31) 3222-5271.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA