Cantora gaúcha Angélica Rizzi se apresenta pela primeira vez em Belo Horizonte

Show ao lado da banda mineira OSócrates será neste sábado, às 19h, no Café com Música

por Daniel Seabra 14/05/2015 11:02

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
(foto: Divulgação)
A cantora e compositora gaúcha Angélica Rizzi se apresenta neste sábado, às 19h, no Café com Música, ao lado da banda mineira OSócrates. Além de releituras de hits do pop rock Brasil, ela também toca canções autorais de seu primeiro CD, 'Águas de chuva'.

Além de cantar e compor, Angélica é jornalista e escritora, com 11 livros lançados. Em 2011, lançou o disco 'Angélica Rizzi à italiana', homenageando suas raízes do país europeu, mais precisamente do norte da Itália, em Trento. Seu terceiro álbum já está no forno, quase pronto. 'Se somos nós' está em processo de gravação em Porto Alegre e  será lançado ainda este ano. No novo trabalho, ela resgata o hit 'Pronta entrega', da banda argentina oitentista Vírus. Outra regravação é 'Canos silenciosos', também dos anos 80, de Lobão.

“Me apresentar em Belo Horizonte pela primeira vez, na terra do antológico Clube da Esquina, é um forma de divulgar a música feita no Sul, pelo meu viés feminino, e fazer um interessante intercâmbio com artistas locais, como a banda OSócrates”, disse. “Gosto muito do trabalho da Fernanda Takai, da Clara Nunes, de quem faço uma referência na música 'Águas do mar', no meu disco de estreia, também do Vander Lee e, claro, do Milton Nascimento. Já cantei 'Travessia', 'Coração de estudante' e 'Maria, Maria' em vários shows.”

Sobre o atual cenário musical de Porto Alegre, conhecido por bandas como Nenhum de Nós, DeFalla, Hibria, Acústicos e Valvulados, Engenheiros do Hawaii, Bidê ou Balde, entre várias outras, Angélica garante que tem espaço para todo mundo. “É bastante diversificado. Tem jazz, pop, samba, rock, MPB, cover e outros. Mas tem altos e baixos. Musica autoral tem dificuldades pra acontecer em qualquer lugar. Tem mídia mas há uma valorização excessiva do que já foi feito. É a chamada ‘retromania’. As pessoas curtem ir aos shows, mas muitas vezes é necessário colocar canções conhecidas, hits também.”

Entre suas principais influências, musas do rock, como Rita Lee e Patti Smith, mas também uma das principais (senão a principal) representantes da bossa nova, Nara Leão, além de Marisa Monte. “Dos meus conterrâneos gaúchos, gosto muito da Elis Regina, da Adriana Calcanhoto e dos Engenheiros do Hawaii. Além do Júlio Reny, músico e compositor que admiro muito”.

Na noite de sexta-feira, Angélica também fará uma sessão de autógrafos para divulgar duas de suas obras, 'O Poeta mais velho do mundo' (Romance) e 'O Pituco' (Literatura Infantil), também no Café com Música. A produção executiva do show de Angélica Rizzi no Café com Música é de André Rosa, produtor da banda mineira OSócrates.

Show de Angélica Rizzi
Sábado, às 19h, no Café com Música (Avenida Afonso Pena, 2382A (esquina com Rua Gonçalves Dias)). Entrada: R$ 7

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA