CPM 22 comemora 20 anos com show em BH

Grupo vai se apresentar no Espaço Even. Badauí promete novo disco ainda neste ano

por Walter Sebastião 27/03/2015 10:12

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Otávio Sousa/MTV
(foto: Otávio Sousa/MTV)
Faz show sábado, comemorando 20 anos de existência, uma banda que merece respeito: a paulista CPM 22. Depois de projeto acústico, eles chegam a Belo Horizonte trazendo na bagagem músicas antigas vindas de vários discos. Oito CDs e quatro DVDs são motivo de orgulho para a turma. “Mas nossa história ainda não acabou”, afirma o vocalista Fernando Badauí, de 39 anos, avisando que a grupo está preparando disco de inéditas para 2015. Vão estar no repertório sucessos do grupo como 'Tarde de outono', 'Um minuto para o fim do mundo' e 'O mundo da voltas', que, respectivamente, valeram prêmios e são a cara do CPM. “É muito bom você ver que coisas que escrevemos com verdade e sentimento atingiram o grande público”, explica o cantor.

O som, continua Badauí, mudou de disco para disco, mas sem perder a identidade. Trata-se de fidelidade ao hardcore melódico vindo com o pós-punk, “que sempre ouvimos e continuamos ouvindo”, influenciado por bandas como o Bad Religion e Face to Face. Música com peso, veloz e com interesse pela reintrodução da melodia no rock. Gênero, recorda, que por soar agressivo a ouvidos pop, valeu alguma dificuldade de divulgação. “Por isso tivemos de achar uma forma de entrar na mídia sem perder a postura”, diz, avisando que viver de rock, no Brasil, é uma luta diária.

“Pra chegar aonde estamos, tivemos de aproveitar todas as ocasiões que podiam render divulgação, mas sem perder a nossa identidade”, conta Badauí. “Demos entrevista para revista de que não gostávamos, fizemos programas de TV que não tinham nada a ver com a gente, fizemos shows com artistas populares, mas mostrando o que fazíamos. Foi trabalhoso abrir a cabeça para entender como o Brasil é”, observa. Da formação inicial, de 1995, só restou Fernando Badauí. Mas do grupo que engatou a carreira profissional lá estão Japinha (bateria) e Luciano (guitarra). A banda conta ainda com Heitor (baixo) e Phil (guitarra, ex Dead Fish).

CPM 22
Abertura: Cash. Sábado, às 22h. Espaço Even, Rua Vereador Antônio Zandona, 245, Gameleira. Informações: (31) 3209-0505. Pista: R$ 100 e R$ 50.


Duas perguntas para...
BADAUÍ, músico

Que conselho daria para quem está formando ou quer formar banda de rock?

Escolher os caminhos em que acredita e ir tirando as pedras do caminho. Não participamos de campeonato de bandas porque não gostamos, e nem ficamos esperando gravadora. Bancamos, nós mesmos, o primeiro disco. Com relação à internet, é bom tomar cuidado para não banalizar a música que se faz. Não tem fórmula. Tudo depende de trabalho e sorte.

O Brasil já tem uma história com o rock?
Titãs, Paralamas, Cólera, Ratos de Porão, Raul Seixas, Rita Lee, Mutantes e Camisa de Vênus, entre outros, construíram uma história bonita, de luta, de grupos e músicas eternas. Alguns, além de artistas, foram grandes seres humanos, fizeram rock nos  tempos que a divulgação era zero, batendo de frente com a ditadura militar, enfrentando a censura e tudo mais.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA