Isabella Bretz leva trabalho autoral a show gratuito em parceria com Abacatu

Cantora belo-horizontina apresenta influências portuguesas no repertório introspectivo, construído e divulgado de maneira independente pela internet

por Bossuet Alvim 23/03/2015 15:05

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Carlos Queiroz/Divulgação
Conservatório da UFMG recebe apresentação intimista, bem ao gosto da cantora e compositora (foto: Carlos Queiroz/Divulgação)
O trabalho que Isabella bretz leva ao palco do Conservatório da UFMG nesta terça-feira, 24, é versátil e autoral na medida exata para uma parceria equilibrada. A artista dividirá o show com Jackson Abacatu, ilustrador, animador e músico que lança empreitada instrumental na mesma noite. A dupla garante colaborações no repertório, mas a trajetória de Bretz é bem mais extensa do que a sessão única comporta.

Nascida e criada em Belo Horizonte, Isabella é formada em Relações Internacionais e espelha uma espécie de ecletismo global em sua obra. As canções lançadas de maneira independente pela internet, acompanhadas por vídeos, são cantadas na maioria em inglês. "Adoro culturas e lugares diferentes. Tenho muitos amigos fora do Brasil e queria fazer um trabalho que pudesse ser recebido por eles e por outras pessoas", afirma a cantora sobre o idioma das composições. "É muito mais fácil um brasileiro entender inglês do que todos os estrangeiros entenderem português", complementa.

 

Conheça 'Conversation', uma das faixas de Isabella:

 

 

A influência mais recente em sua obra vem de Portugal, país onde a artista viveu por boa parte do ano passado. "Tenho escrito muito na nossa língua e o próximo disco provavelmente será todo em português. Quis ir para fora pois o estilo que eu gosto não tem tanto espaço aqui", admite a cantora, revelando uma afinidade forte com o público lusitano. "Digamos que eles são um pouco mais pacientes e interessados em músicas mais introspectivas, que não é o forte do Brasil. Aqui sempre vai ter alguém que vai pedir 'a que a gente conhece' ou 'uma mais animada'", ela observa.

 

Os quatro clipes do canal de Isabella somam cerca de 23 mil visualizações, número relevante para produções simples desde a concepção. "Os vídeos de 'Saudade' e 'Light as feathers' fui eu que paguei. Mas custaram bem pouco, foram feitos de forma independente, não por agência ou produtora", explica Isabella, que contou com a direção de Carlos Queiroz em quase todas as produções. "O vídeo de 'Conversation' também foi feito por ele, mas aí usamos crowdfunding. Já o vídeo de 'Simples' é uma compilação de vídeos amadores feitos por mim em Moçambique, então não custou nada", detalha. O primeiro disco, gerado em 2012, também foi criado por processos caseiros, quase artesanais, e divulgado livremente pela internet.

 

Ouça 'Saudade', primeiro álbum de Bretz:

 

A exemplo do show desta terça-feira, Bretz prefere apresentações intimistas, ambiente mais propício para alguma conexão com o público. Mas tocar em grandes palcos "é também uma alegria" segundo a cantora, que já passou por teatros, universidades, bares, espaços culturais, casas, eventos sociais, festivais, TV e rádio. A sessão dividida com Jackson Abacatu inclui participações especiais de Danielle Bretz, Douglas Santiago e Ernst Clauss.

 

Isabella Bretz e Jackson Abacatu

Terça-feira, 24 de março, às 20h no Conservatório da UFMG (Av. Afonso Pena, 1534 - Centro). Entrada franca. Mais informações pela página do evento no Facebook.


 

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA