Jorge e Matheus se apresentam em Belo Horizonte nesta sexta

Em entrevista, dupla garante não se incomodar com o rótulo "sertanejo universitário" e dá dicas sobre o próximo trabalho

por Kelen Cristina 27/02/2015 09:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Jorge e Mateus/acervo
(foto: Jorge e Mateus/acervo)
A dimensão do sucesso da dupla Jorge e Mateus pode ser medida pela procura por ingressos para o show desta noite, no Chevrolet Hall. A venda começou 20 dias antes da apresentação. Em apenas 48 horas, o primeiro lote da pista premium (o setor mais caro) se esgotou. No início desta semana, já não havia mais entradas.


Sempre que Jorge e Mateus vêm a BH é assim. “Lembrar o primeiro show aí é meio difícil, porque nos apresentamos inúmeras vezes em BH. O mais marcante foi no Pirraça, um projeto nosso que tem uma receptividade incrível”, diz Jorge. O evento junta música sertaneja e trio elétrico. Este ano, os dois fizeram a quinta participação no carnaval de Salvador.

RÓTULOS Goianos de Itumbiara, Jorge e Mateus destoam dos representantes do chamado sertanejo universitário. As canções da dupla não enfatizam frases de duplo sentido, gosto duvidoso ou exaltação da trilogia ostentação-bebida-balada. O alicerce é o velho e bom sertanejo, as dores e os prazeres do amor.

“Somos bastante ecléticos e ouvimos, sem exagero, de tudo um pouco. Nosso próximo disco terá uma pitada de Keith Urban (cantor country neozelandês)”, conta Jorge. O álbum 'Os anjos cantam' está previsto para o mês que vem. A maioria das faixas é autoral. “Quando você escreve a letra, já vai imaginando a melodia, os arranjos e como ela ficará depois de pronta. Tudo isso facilita. Mas é relativo, pois algumas faixas não serão autorais e caem perfeitamente na interpretação”, diz.

O clichê “sertanejo universitário” não incomoda. “O termo surgiu pelo fato de esse tipo de música, de uns anos pra cá, conquistar espaço entre a galera mais jovem, os estudantes, o pessoal de república. Também éramos universitários quando entramos de vez no sertanejo. Essa vertente é sinônimo de alegria”, defende Jorge. Em 2005, ele abandonou a faculdade de direito para ser artista juntando-se a Mateus, estudante de agronomia.

JORGE E MATEUS
Nesta sexta, às 22h. Chevrolet Hall, Av. Nossa Senhora do Carmo, 230, Savassi, (31) 3209- 8989. Ingressos esgotados.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA