Pitty e banda voltam a BH, mostrando maturidade e segurança no show Setevidas

A cantora apresenta o repertório do sexto disco

por Walter Sebastião 06/02/2015 00:13

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Daryan Dornelles/Divulgação
(foto: Daryan Dornelles/Divulgação)
A cantora e compositora Pitty apresenta o show Setevidas, amanhã, no Music Hall. A artista vive momento de satisfação, pois o novo CD, que tem o mesmo nome do show lançado no segundo semestre do ano passado, recebeu muitos elogios. Vem sendo considerado o melhor disco da baiana.

“Sinto que cheguei a um lugar especial da minha música, vindo com o tempo de carreira. Ninguém nasce sabendo, a gente vai fazendo e aprendendo”, garante Pitty. Ela divide o palco com Martin Mendonça (guitarra), Duda Machado (bateria) e Guilherme Almeida (baixo).

A roqueira conta que todo o cuidado em fazer de Setevidas um disco bem feito, em todos os aspectos, foi levado para a turnê. Buscando qualidade musical, ela incorporou mais um músico à equipe: Paulo Kishimoto, que toca teclados e percussão. “Isso deu uma incrementada. Quem for ao show vai ouvir inclusive as músicas antigas renovadas”, observa. “Procuro sempre crescer, evoluir, não me repetir, não ficar presa a fórmulas”, afirma.

 A lua de mel com o novo disco faz com que ela não tenha uma canção favorita: “Gosto de todas, mas equilibro o repertório com outras músicas que sei que as pessoas gostam de ouvir. O público ter carinho por certas músicas me faz ter carinho redobrado por elas. Quando você canta e a galera vem junto, é sensacional”, afirma. Estão no repertório Pequena morte, Setevidas, Serpente e Boca aberta, do CD novo. E também Me adora, Máscara, Adorável chip novo e Teto de vidro, de discos anteriores.

PERFIL Pitty é Priscilla Novaes Leone, uma bela baiana de Salvador, de 37 anos. Depois de passar pelas bandas Inkoma e Shes, em 2003, ela desenvolve trabalho com o grupo que leva o seu nome. É considerada a maior vendedora de discos (bateu 15 milhões de cópias) entre os artistas que se dedicam ao rock. “O objetivo de tudo é o palco. É nele que celebro a minha missa. Sou pastora”, brinca.

Setevidas  é o sexto disco da cantora e compositora, que assina todas as faixas do álbum. Há parcerias com Martin ou com toda a banda. Estão no disco aspectos caros ao projeto de Pitty, em especial a combinação de humor ácido, densidade e peso – estilo agora domado, refinado e transformado em texturas sonoras que dão climas às canções.

Pitty continua sendo uma cantora especial, diferente, 100% rock and roll. O mesmo vale para a sua banda.

SETE VIDAS

Show de Pitty. Amanhã, às 22h30. Music Hall, Avenida do Contorno, 3.239, Santa Efigênia. Pista: R$ 65 (meia) e R$ 130 (inteira). Camarote: R$ 80 (meia) e R$ 160 (inteira). Classificação: 16 anos. Menores
de 16 anos só podem entrar acompanhados dos pais.

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA