Instabilidade econômica pode afetar agenda de megaproduções em BH

Mesmo assim, a cidade vai receber exposição de Kandinsky, shows do Kiss e do Foo Fighters e sonha com Rolling Stones

por Ana Clara Brant 28/12/2014 07:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
MIKE BLAKE/REUTERS
Dave Grohl e seu Foo Fighters cantam em BH em janeiro. Mick Jagger está na mira da produtora Nó de Rosa (foto: MIKE BLAKE/REUTERS)
Exposição do artista plástico Kandinsky; show do Kiss; inauguração da Estação da Cultura Presidente Itamar Franco, que vai abrigar a nova sede da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais; novas coreografias para comemorar os 40 anos do Grupo Corpo. E, quem sabe, até a apresentação do Rolling Stones, uma das maiores bandas de rock do planeta?

Apesar da instabilidade econômica que ameaça o país, a agenda de 2015 comprova: BH terá programação cultural promissora, embora alguns eventos ainda não estejam confirmados. Certamente, a mudança de governador influenciará o planejamento. Órgãos ligados ao estado, como a Fundação Clóvis Salgado, não fecharam sua programação.

Um dos destaques da programação em BH será a exposição 'Kandinsky: tudo começa num ponto', no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB-BH), a partir de 18 de abril. O público verá uma centena de obras e objetos do artista russo, seus contemporâneos e suas influências. A base é a coleção pertencente ao Museu Estatal Russo de São Petersburgo, enriquecida com peças de sete instituições da Rússia, além de acervos procedentes da Alemanha, Áustria, Inglaterra e França.

“É a primeira vez que obras do Kandinsky são apresentadas no Brasil. A exposição é bem significativa do trabalho dele”, comenta Carlos Nagib, gerente-geral do CCBB-BH. Ele diz que outros projetos do centro cultural estão sendo fechados: mostras de artes plásticas e espetáculos de teatro, música e dança, além de projetos ligados ao cinema.

ECONOMIA A expectativa de gestores e produtores culturais é positiva, mas sem euforia. Aluizer Malab comanda a Malab Produções, que trouxe à capital Elton John e Beyoncé e promove os festivais Eletronika, Net e Oktoberfest. “A perspectiva é seguir com os projetos regulares. Já em março teremos algo novo: o início da turnê do Pato Fu, 'Não pare pra pensar'. Por questão de agenda dos espaços, não está definido se ela começa em BH, Rio de Janeiro ou São Paulo”, informa.

Malab não conhece os planos da gestão Fernando Pimentel para o setor cultural. Entretanto, adverte: 2015 exige prudência, pois o momento econômico não é dos mais positivos. “O fato de o dólar estar nas alturas reflete muito nos shows internacionais. A gente acaba tendo de repassar lá pra ponta, para o preço dos ingressos. É complicado planejar e negociar nessas condições, embora tenhamos algumas propostas. Devemos trazer pelo menos um grande show de fora para BH”, assegura.

Já estão confirmados shows do Foo Fighters e do Slash na capital. O produtor Gegê Lara, da Nó de Rosa Produções, anunciou para abril o show comemorativo dos 40 anos da banda Kiss, no Estádio Independência. A intenção é trazer o Rolling Stones, de preferência para o Mineirão. Entretanto, Gegê reclama que a administradora da arena não estimula as megaproduções.

“Espero que o novo governo consiga abrir a caixa-preta do Mineirão. A maneira como ele vem sendo conduzido não dá estímulo nem aos produtores de entretenimento daqui nem aos de fora. A gestão não é clara, transparente. O estádio é um ótimo equipamento para grandes eventos, mas a intransigência da empresa não ajuda o pessoal do showbizz”, lamenta.

Gegê Lara alerta: BH pode correr o risco de perder um show como o dos Stones para Porto Alegre e Brasília por conta desses empecilhos. “A gente quer trazer artistas internacionais para BH, estamos em contato com todos com turnês marcadas para a América Latina. Há interesse deles em vir, mas é preciso um incentivo”, conclui.

ANOTE NA AGENDA

JANEIRO

Campanha de Popularização do Teatro e da Dança. Começa dia 6. Em vários espaços de BH
Verão Arte Contemporânea (VAC). Começa dia 9. Em vários espaços de BH
David Guetta. Dia 11. No Expominas
18ª Mostra de Cinema de Tiradentes. Começa dia 23
Foo Fighters. Dia 28. Esplanada do Mineirão

FEVEREIRO
Exposição Cabeça, do artista plástico Milton Machado. CCBB
Exposição O traço poético de Fernando Fiúza. CCBB

MARÇO
Inauguração da sede da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.
Dia 5. Estação da Cultura Presidente Itamar Franco
Show do Slash. Dia 15. Galopeira
Início da nova turnê do Pato Fu

ABRIL
Exposição Kandinsky: tudo começa num ponto. Dia 18. CCBB-BH
Show da banda Kiss. Dia 23. Estádio Independência

AGOSTO
Estreia de espetáculo comemorativo dos 40 anos do Grupo Corpo. Música de Marco Antônio Guimarães, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Uakti e Skank. Palácio das Artes
Gravação do DVD de Lô Borges e Samuel Rosa. Cine Theatro Brasil Vallourec

SETEMBRO
Virada Cultural. Praça da Estação, Parque Municipal e outros pontos da capital
Festival Eletronika
Inauguração da Galeria Claudia Andujar, com obras da fotógrafa suíça radicada no Brasil. Inhotim
Inauguração do site-specific Belo Horizonte expectations, do dinarmaquês Olafur Eliasson. Inhotim
 
OUTUBRO
Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ). Serraria Souza Pinto

NOVEMBRO
Festival de Arte Negra (FAN)
NET Festival

* Algumas datas e locais não foram definidos

CCBB/divulgação
Obra do artista plástico russo Wassily Kandinsky que integra amostra 'Tudo começa num ponto' (foto: CCBB/divulgação)
Tradição é mantida


Em 2015, Belo Horizonte vai manter sua agenda tradicional das artes. Virada Cultural, Campanha de Popularização do Teatro e da Dança, Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ) e Verão Arte Contemporânea (VAC) terão novas edições. Instituições como o Memorial Minas Gerais Vale e o Gerdau – Museu das Minas vão manter saraus e debates.

A Casa Fiat vai apresentar, ainda sem data definida, mostra sobre Giuseppe Garibaldi vinda da famosa Collezione Tronca. Esculturas e pinturas contam a rica história do italiano. Outra exposição prevista é sobre o sítio arqueológico de Pompeia, com destroços da cidade italiana que desapareceu em 79 d.C. devido à erupção do Vesúvio.

O Circuito Cultural da Praça da Liberdade vai ganhar mais cinco espaços: Centro Cultural Oi Futuro, Escola de Design da Universidade do Estado de Minas Gerais, Centro de Ensaios Abertos, Rainha da Sucata e Casa do Automóvel. Isso está nos planos do governo que se despede do Palácio da Liberdade.

A secretária de Estado da Cultura, Eliane Parreiras, prevê para março a inauguração da Sala de Concertos Minas Gerais, na Estação da Cultura Presidente Itamar Franco, sede da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais. O espaço vai receber também a Rede Minas de Televisão e a Rádio Inconfidência.

“Pela primeira vez a Inconfidência e Rede Minas estarão em um prédio criado para abrigá-las, com estrutura totalmente adequada às especificidades técnicas de cada instituição. A conclusão das obras está prevista para meados de 2015”, diz Eliane.

A secretária informa que estão em andamento obras dos museus da Gruta Rei do Mato, em Sete Lagoas, e das Águas, em Lambari, no Sul de Minas. Eliane espera a reabertura da Casa Alphonsus de Guimaraens, em Mariana, e do Museu Mariano Procópio em Juiz de Fora. “Fizemos um investimento muito grande na cultura, sobretudo na infraestrutura e na descentralização. Esperamos que isso perdure. No entanto, temos que lembrar: uma nova gestão vai assumir, e eles têm outros planos. Portanto, outras ações e projetos estão por vir”, conclui.

VEM AÍ
Novo espetáculo do Grupo Galpão

Entrega das sedes da Rede Minas e Rádio Inconfidência, na Estação da Cultura Presidente Itamar Franco

Exposições sobre Pompeia e Giuseppe Garibaldi, na Casa Fiat

Novos equipamentos do Circuito Cultural Praça da Liberdade: Centro Cultural Oi Futuro, Escola de Design da Uemg, Centro de Ensaios Abertos, Rainha da Sucata e Casa do Automóvel

Inauguração do Cine Santa Tereza (2º semestre)

Inauguração do Teatro Raul Belém Machado, no Bairro Alípio de Melo

VÍDEOS RECOMENDADOS

MAIS SOBRE MÚSICA